Goiás: Greve garante grandes conquistas para a Educação

“A batalha foi árdua, mas vitoriosa.

Depois de inúmeras reuniões e negociações,

finalmente o governo do Estado atendeu às solicitações

dos trabalhadores em Educação.”

Bia de Lima – Presidenta do Sintego 

Depois um árduo e longo processo de negociação, a Rede Estadual de Educação do Estado de Goiás encerrou uma greve de 41 dias com grandes conquistas para a categoria.

Em reunião com a diretoria do Sintego, no dia 24 de abril, na presença da secretária de Educação Raquel Teixeira, o Governador Marconi Perillo aceitou oficialmente a proposta do movimento.

Para Bia de Lima, presidenta do Sintego, a greve trouxe conquistas pelas quais os trabalhadores lutavam há 16 anos. “Essa vitória é resultado da dedicação e persistência de nossa categoria. Ela mostra que precisamos continuar unidos e na luta para mantermos nossos direitos e o respeito que merecemos,” disse Bia na reunião na qual se firmou o acordo com o governo do Estado.

11 PRINCIPAIS CONQUISTAS DA GREVE

O Sintego celebra, com alegria, as onze principais conquistas da Greve. Confira:

# Conquistas da Greve
01 21% de reajuste para os administrativos, que estavam há 3 anos sem nada.
02 34% de reajuste para os contratos temporários.
03 7,64% de reajuste para os professores de todos os níveis: PI, PII, PIII e PIV,

inclusive os aposentados.

04 Progressão para 448 professores do Quadro Permanente do Magistério.
05 Concurso público para 900 professores PIII e 100 administrativos.
06 Auxílio-alimentação de R$ 500,00 para administrativos, professores efetivos, comissionados e temporários (conquista adicional, não prevista na pauta inicial de demandas).
07 Resolução do Quadro Transitório do Magistério – QTM, com equiparação do PIII e inclusão de todos os profissionais desta faixa no quadro de PIII.
08 Gratificação por Dedicação em Período Integral (GDPI) para professores,

coordenadores e diretores das escolas em tempo integral.

09 20% de aumento para os recursos destinados à merenda escolar.
10 58% de aumento para o Pró-Escola (programa de custeio de reformas e reparosemergenciais das unidades de ensino).
11 Recriação das 40 subsecretarias, porém com outra nomenclatura e estrutura funcional.

A GREVE PASSO-A-PASSO

Com muito orgulho, o Sintego compartilha também o passo-a-passo dos 41 dias desta Greve vitoriosa:

Data Ação
08 de março Sintego coloca 5 mil pessoas nas ruas na comemoração ao Dia da Mulher e em assembleia trabalhadores votam pelo início da greve no dia 15 de março, data marcada pela CNTE para Greve Geral da Educação contra as reformas de Temer.
15 de março Sintego atende convocação da CNTE e decreta greve geral: 20 mil vãos as ruas.
21 de março O Sintego faz ato público na porta da Secretaria de Educação – SEDUCE.
24 de março O Sintego mantém a Greve e organiza uma vigília semanal dos trabalhadores da Educação contra o PEC 3548 (Pacote da Maldade).
31 de março 5 mil professores, convocados pelo Sintego, saem às ruas de Goiânia em protesto contra a PEC da Morte de Marconi,  em defesa do Piso e Data-Base, e contra a Reforma da Previdência.
06 de abril O Sintego e o Fórum Sindical são recebidos pela equipe econômica do governo Marconi Perillo, para  a discussão da PEC da Morte goiana e a pauta de reivindicações do funcionalismo de Goiás.
11 de abril O Sintego se reúne com a PGE, a Sefaz e a Seduce e inicia negociação do Piso e da Data-Base.
12 de abril Votação da PEC da Morte goiana é adiada para 25 de abril.
24 de abril 24 de abril – O Governador chama o Sintego para uma reunião de negociação direta, com a participação de seus secretários da Educação, Fazenda e Casa Civil e, durante a reunião, anuncia o reajuste para professores, administrativos, temporários e quadro transitório da Educação.
25 de abril Assembleia da categoria aprova a negociação feita pelo Sintego com o governo e encerra a greve.

About The Author

Xapuri

Related Posts