Mandela somos todos nós –

Por Benedita da Silva –

O mundo que respira democracia e não aceita o racismo celebra hoje o centenário de nascimento de Mandela.

O sul-africano Mandela se tornou universal com a sua luta que diz respeito não apenas aos povos negros, mas igualmente a todos aqueles que defendem a dignidade do ser humano, ação tão desprezada no mundo de hoje.

Perseguido, condenado e preso sem nenhum crime, Mandela transformou seus 27 anos de prisão numa chama que inspirava a luta contra racismo. Seu exemplo de luta inspirou fortemente o avanço do movimento negro brasileiro contra quem discriminava e oprimia a população negra das favelas e periferias desde o fim da escravidão. Por isso nos tornamos, junto com outros parlamentares negros da Assembleia Constituinte, parte ativa do movimento de solidariedade internacional a Mandela.

Há 30 anos, nessa mesma Constituinte, assinamos uma moção pela libertação de Mandela e o rompimento de relações comerciais do Brasil com o regime racista da África do Sul.

O apartheid não resistiu à pressão e finalmente libertou Mandela em 1990, aos 71 anos de idade. Demonstrando a sabedoria dos iluminados, Mandela saiu de seu longo cativeiro sem rancor, mas com muita determinação para libertar a maioria negra sul-africana da segregação racial e pacificar o país numa democracia multirracial.

Foi o que aconteceu com a sua eleição consagradora a presidente, em 1994, quando pôs fim ao odioso regime anti-humano do apartheid.

Neste 18 de julho de 2018 é impossível não fazermos um paralelo entre os 100 anos de Mandela e os 100 dias da prisão injusta de Lula. Como aconteceu com Mandela, também perseguiram, condenaram e prenderam Lula sem nenhum crime, a não ser o de ter feito em seu governo a inclusão social de 35 milhões de pessoas e tirado o Brasil do Mapa da Fome.

A razão política da injusta prisão de Lula fica clara quando vemos o governo oriundo do golpe do impeachment esmagando os direitos do povo e vendendo a nação brasileira, jogando assim por terra todas as conquistas sociais e a soberania de nosso país representada pela entrega das maiores reservas de petróleo do pré-sal.

A história de luta de Mandela confirma aquilo que Lula falou em São Bernardo, pouco antes de sua prisão política, que nenhum muro ou grade de prisão conseguirá impedir que os ideais de liberdade e de justiça social alcance a consciência do povo e se materialize na luta pela reconquista da democracia.

É o que vemos acontecer todos os dias. É o que se constata com o persistente apoio do povo a Lula, revelado em todas as pesquisas, mesmo ele estando preso.

Para o povo brasileiro, que se lembra de como era o governo de Lula, a prisão de Curitiba não tem muros e de lá o ex-presidente sairá para ser de novo o presidente de todos.

Fonte: Brasil 247 

https://www.brasil247.com/pt/colunistas/beneditadasilva/362247/Mandela-somos-todos-n%C3%B3s!.htm

Anúncios

Comentários

X
preloader