Agricultores voltam ao método antigo: combater pragas plantando flores silvestres em vez de usar produtos químicos

O uso de pesticidas já comprovou que prejudica o meio ambiente. Com isso, muitos agricultores estão voltando a utilizar antigos métodos para controlar o número de pragas existentes em plantações. Essa método antigo, se chama método biológico de controle das pragas. Muito eficaz, o método consiste em plantar flores que evitam de maneira natural que as pragas destruam as plantações.

Os métodos que comprovam riscos para a saúde de um modo geral e até mesmo para o cultivo, são os típicos de agricultura que utilizam os pesticidas para controlar as pragas que interferem do crescimento e no lucro das lavouras.

Outras questão que causa preocupação são os prejuízos que os pesticidas nocivos causam para as abelhas, além disso estes afetam ainda a saúde os trabalhadores que estão trabalhando nas lavouras. Como se não bastasse as pragas acabam se fortalecendo e aumentando suas capacidades para suportar a exposição contínua dos pesticidas. Espera-se portanto, que esse método antigo seja muito mais eficaz contra os pragas nas plantações.

O método de plantar flores silvestres estão em volta das novas plantações. De fato é um processo utilizado desde muitos anos pelos antigos agricultores e fazendeiros. De modo que os canteiros de flores oferecem um lar para os predadores benéficos de pragas, como é o caso de vespas parasitas. As vespas são insetos que agem beneficiando porque gostam de comer pulgões e suas larvas.

As tiras de flores que agora estão sendo cultivadas se chamam “estradas dos insetos”. Elas ficam plantadas entre as plantações. Para se ter uma ideia, quando misturados com ervas, estudos evidenciam que essas tiras de flores são muito ativas na diminuição de prejuízos das folhas associado às culturas.

Nesse sentido, constata-se que o método antigo acrescenta a biodiversidade e solicita o controle seguro e natural de pragas, embora  esse método não combata  inteiramente a existência de algumas pragas nas lavouras, no entanto colabora para uma população de pragas fraca a ponto de não danificar expressivamente e nem interferir no desenvolvimento da colheita. Um fator muito importante quanto o controle de pragas.

Este artigo foi publicado originariamente no site- Pensar Contemporâneo , e foi reproduzido adaptado por equipe do blog cantinho.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: