Dia dos Animais: Instituições nacionais e internacionais incentivam brasileiros a virarem anjos da guarda na hora de comer

Movimentos estimulam que, ao escolher um prato sem carne, cada pessoa se torna um agente importante na defesa dos animais e do meio ambiente

Você sabia que nem todo anjo da guarda dos animais precisa resgatar bichos ou protestar? E que é possível fazer sua parte para um mundo melhor para eles até mesmo sentado à mesa? É pensando nisso que, no Dia Mundial dos Animais (4 de outubro), ONGs com atuação no Brasil e sugerem que a população comemore a data tirando ou reduzindo o consumo da carne e os alimentos de origem animal, como ovo e leite, do prato.

Começar experimentando ao menos um dia da semana é a proposta da campanha Segunda Sem Carne, realizada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Se cada pessoa fizer refeições substituindo a proteína animal pela vegetal no Dia Mundial dos Animais, por exemplo, já estará impactando positivamente com uma economia de 60 litros de água e menos 11kg de gás carbônico emitidos na atmosfera – além de estar salvando vidas, claro.

“A campanha do Brasil é considerada a maior do mundo. Aderir à Segunda Sem Carne é um primeiro passo muito importante rumo a uma alimentação mais sustentável e saudável”, comenta a diretora executiva da SVB, Mônica Buava.

Neste ano, um estudo realizado pela Brighton and Sussex Medical School (BSMS) e pela “Segunda Sem Carne” mostrou que mais de 30% dos entrevistados comiam carne quando fizeram o cadastro no site da campanha e, após cinco anos, declararam a mudança na alimentação para uma dieta plant based. Comprovando assim que, começar por um dia, pode realmente tornar a pessoa em um anjo da guarda dos animais.

A ONG Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, que atua há mais de 20 anos na causa, vai além e destaca que a mudança nos hábitos alimentares, em curto prazo, transforma o mundo:

“Com essa mudança, seremos capazes de reverter o sofrimento de milhares de animais explorados pela indústria agropecuária, mitigar os danos ambientais decorrentes de nossos hábitos e assumir a responsabilidade sobre o mundo que deixaremos para as gerações futuras”, afirma Taylison Santos, gerente de campanhas da ONG.

O Fórum Animal alerta que o sistema atual de produção da carne e derivados de origem animal passou dos limites e, por isso, defende a disseminação de informações e reflexões sobre o que as pessoas consomem no dia a dia.

Além da crueldade durante a criação, onde vacas, porcos e galinhas são colocados em fazendas lotadas, com instalações que confinam milhares de animais juntos, a produção de carnes, laticínios e ovos requer extensas áreas e o uso maciço de recursos naturais já escassos.

continua depois da propaganda

A Sinergia Animal Brasil, outra organização internacional de proteção que atua no Brasil, acrescenta que o desmatamento, que tanto afeta a Amazônia e outros biomas, ocorre para a criação de pastos para o gado e para o cultivo de soja e milho – que, em vez de alimentar as pessoas, vira ração para os animais que serão abatidos pela indústria.

“A pecuária é uma das principais causas do desmatamento em todos os países com território amazônico e contribui para 80% do desmatamento da floresta”, explica a presidente Carolina Galvani.

Acreditando que mudanças no prato ajudarão a conter a crise climática, a rede global de grupos de ativistas The Save Movement, que conta com uma ativista mirim brasileira, Brunna Sachs, lançou recentemente o Plant Based Treaty, tratado que incentiva as dietas a base de plantas, consideradas mais saudáveis e sustentáveis.

A campanha busca contribuir com a eficácia do Acordo de Paris, firmado em 2015 por diversos países com compromissos para reduzir o aquecimento global, e explica que a produção de carne e derivados de origem animal, provoca emissões de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, os três principais gases do efeito estufa.

O Plant Based Treaty quer que líderes negociem um acordo global em torno de três princípios: acabar com a alteração do uso da terra, degradação de ecossistemas ou desmatamento para fins de exploração animal; fazer uma transição ativa dos sistemas agrícolas de base animal para sistemas alimentares estritamente de vegetais e recuperar ecossistemas e reflorestar a terra danificada.

continua depois da propaganda

Para impulsionar novas escolhas alimentares, a Million Dollar Vegan incentiva os líderes mundiais a darem exemplo e mostrarem como a adoção de uma dieta vegana pode proteger a saúde e beneficiar a sociedade, o planeta e os animais.

“Todos nós precisamos ser o exemplo das mudanças que queremos ver no mundo. Se queremos proteger a Amazônia, precisamos parar de financiar a indústria que mais desmata no nosso país. Se lutamos por um sistema alimentar com modelos de trabalho justo, não dá para apoiar a indústria que mais teve casos de trabalho escravo no país entre 1995 e 2020.

Também não dá para proteger os animais e financiar a indústria que mais destrói os habitats naturais dos animais selvagens e que mais causa sofrimento aos animais que o ser humano domesticou. Cabe a nós fazer parte dessa mudança com escolhas mais justas para a nossa sociedade, o meio ambiente e os animais”, comenta Isabel Siano, gerente de campanhas da Million Dollar Vegan, entidade que ficou conhecida por desafiar o Papa e o ex presidente Donald Trump.

Para isso, a organização disponibiliza guias gratuitos com dicas e orientações para iniciantes na alimentação vegana, trazendo receitas e informações sobre os benefícios à saúde, para o planeta, para nossa sociedade e para os animais. Em seu site, a Million Dollar Vegan convida quem ama os animais e quer se tornar um anjo da guarda a experimentar uma alimentação vegetal por 31 dias e descobrir o veganismo.

Fonte: Valle da Mídia Assessoria de Comunicação

continua depois da propaganda

Tel: +55 11 99904-6632 – Christian

Tel: +55 11 984155507 – Rodrigo

Email: valledamidia@valledamidia.com.br


Block

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


 

 

continua depois da propaganda