O Buriti – Mâncio Lima, Acre
Entrou na moda dizer que a bioeconomia vai salvar a Amazônia, preservando a floresta e movendo a economia, apontando para um futuro a ser conquistado. O caminho é esse mesmo, mas precisa lembrar que essa tal bioeconomia da floresta já existe e ha muito tempo! São pequenos, mas muitos negócios e empregos que já existem e que fazem a base desse “futuro” que precisa ser hoje.
 
Já vimos à beça sobre borracha e seringa. Agora vamos de buriti! Guimarães Rosa deve ter dado o posto mais nobre dos buritizais do Cerrado, típico das áreas alagadas. Tem muito na Amazônia também!
 
Em Belém, conhecida matéria-prima dos brinquedos de miriti da época do Círio de Nazaré. Dela faz-se também o óleo do buriti, que a indústria cosmética usa em protetor solar e loção pós-sol (anti-irritante e recuperador celular), shampoo (recupera e hidrata os fios) e sabonetes.
 
Em Mâncio Lima, a Elines toca uma cooperativa de 95 produtores, que colhem o fruto e transformam em óleo na cooperativa, que por sua vez comercializa para Belém e Sao Paulo.
Elizangela está fazendo mestrado sobre o tema e é uma espécie de conselheira da Presidenta, sua amiga. Não me perdoo por nao ter uma foto dela!
 
Colher o buriti significa escalar uma palmeira grossa de uns 5 m de altura – ou mais! O kit da cooperativa inclui umas garras e amarras tipo rapel. Elizangela reclama que essas garras podem vir a matar a árvore, precisa de outra técnica…  Subiu, derruba os cachos e a familia toda pode trabalhar em debulhar os frutos. A cooperativa fornece uma lona plástica pra ajudar a manter os frutos limpos nessa hora.
 
Tem gente que tem buritizal próprio, outros tiram da Unidade de Conservação que tem perto da cidade, outros ainda colhem nas fazendas privadas. Proprietário criou olho grande e, se antes deixava os extrativistas entrarem pra colher o que nao usava, agora quer cobrar. Dez reais. Elizangela já fez um projeto de Lei do Buriti Livre, tal qual o babaçu, que é de todos, não interessa na terra de quem esteja.
 
Na cooperativa, Elines trabalha pra conseguir recursos para aprimorar o maquinário e a infraestrutura de processamento. Na área de lavagem, o projeto foi mal dimensionado e não deu pra terminar a obra que abrigara a bitela que recém comprou. As fotos vão na sequência. Dois dias se secagem na estufa ao sol, os frutos vão para o secador elétrico.
 
Equipamento especializado é difícil, usam um adaptado da secagem de café (a grande roda atrás do forno, na foto). Fruto seco, hora de quebrar para separar a casca da polpa. Esse processo é manual. Depois, a prensa, que esse ano deu problema no eixo. Novo, so em Sao Paulo. Estão recauchutando pela 2a vez o eixo do motor. Da prensa dai o óleo que descansa no tonel de alumínio e passa por duas filtragens.
 
Essa trabalheira garante um melhor preço pago por saca de buriti-fruto! A cooperativa vende uns 150 mil reais de oleo. Se tivesse máquina para destilar, teria retorno muito maior! A presidenta e sua amiga acadêmica estão na luta. E estão conseguindo, ainda que o marido da Elines reclame que ela não esta em casa quando os filhos choram. Ela esta tocando seu negócio!
 
Ana Cristina Barros – Pesquisadora. Escritora. Anja da Amazônia. As fotos são todas de Ana Cristina Barros. 
 
 
Block

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto em nossa loja solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação de qualquer valor via pix ( contato@xapuri.info). Gratidão!

Block

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO

Comentários