Os pássaros estão a desaparecer dos campos da Europa

Nos últimos 30 anos, o número de aves nas zonas rurais dos países da União Europeia sofreu um decréscimo de 55%. Nos últimos 15, França perdeu 80% das suas perdizes. Em Portugal, entre 2004 e 2014, desapareceram mais de metade das populações de rola-brava e de picanço barreteiro. A situação “catastrófica” foi provocada pelos pesticidas, pela agricultura intensiva e pela extensão das monoculturas.

Por:  /Publico

Na terça-feira, o Le Monde dava a notícia. Dois estudos franceses, um do Museu Nacional de História Natural, outro do Centro Nacional de Pesquisa Científica, feitos de forma independente e aplicando metodologias diferentes, apontavam para as mesmas conclusões. Nos últimos 15 anos, desapareceu um terço da população de aves nas zonas campestres do interior do país – a perdiz registou um decréscimo de 80%, a migratória petinha-dos-prados diminui a sua presença em 70% e um quarto das cotovias também desapareceu. Em Inglaterra, noticiava o Guardian na quarta-feira, a situação é igualmente alarmante: 56% da população de pássaros rurais perdida entre 1970 e 2015. A situação é descrita no jornal inglês como “catastrófica”, o francês alerta para a “proximidade de uma catástrofe ecológica”.

Em Portugal, diz ao PÚBLICO Joaquim Teodósio, coordenador do Departamento de Conservação Terrestre da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), o panorama não será substancialmente diferente. “Confirma-se esse declínio das espécies associadas aos habitats agrícolas, embora, pela falta de recolhas no terreno, seja difícil ter dados robustos para a maioria das espécies”. Ainda assim, é possível classificar como “preocupante”, por exemplo, a situação da rola-brava e do picanço barreteiro: entre 2004 e 2014, registou-se um decréscimo de 54% e 65% nas respectivas populações de pássaros.

O declínio deve-se a um conjunto de factores, centrados nas políticas promovidas pela Política Agrícola Comum (PAC) da União Europeia (EU). A generalização de pesticidas, em particular os neonicotinóides, tem dizimado as populações de insectos de que muitas espécies de pássaros se alimentam. No ano passado era notícia o decréscimo na ordem dos 75% de insectos voadores nas reservas naturais alemãs e, no artigo do Le Monde, surge a informação de que a população das vulgares carochas decresceu 85% nos últimos 23 anos.

ANOTE:

Comentários

%d blogueiros gostam disto: