Seca do Rio das Almas assusta população de Ceres, Rialma e região

Por Valle Notícias

O Rio das Almas é um rio brasileiro que banha o estado de Goiás. Sua nascente é no limite do Parque Estadual da Serra dos Pireneus, no município de Pirenópolis. Segue seu curso no sentido sul-norte e compõe a bacia do Tocantins. Corta as cidades de Pirenópolis, Jaraguá, Ceres, Rialma e Nova Glória.

O Rio está com o volume cerca de 50% de água abaixo do nível esperado nesta época do ano. O fato foi denunciado ao Jornal Valle Noticias na manha deste sabado (24/08), e tem assustado os moradores e ambientalistas da cidade e zona rural que afirmam que o fator que intensificou ainda mais a seca foram as instalações de dezenas de motores de grande porte que retiram milhões de litros de água do Rio Verde, Rio Uru e Rio das Almas para fazer irrigação de plantios de cana da empresa CRV Industrial de Carmo do Rio Verde e com isso está escoriando as margens dos Rios que cortam e abastecem os municípios.

O nível dos rios baixou consideravelmente. É quase impossível acreditar que no local já houve vastas águas que, inclusive, causavam enchentes nos arredores.

O mais grave de tudo isso são os vários motores que estão sendo usados pela usina para fazer bombeamento de água para a transposição até uma caneleta que distribui água para vários açudes formando verdadeiras piscinas com milhares de litros de águas que são distribuídos através de centenas de metros de tubulação de dezesseis polegadas que através de canhões de jato de água realizam a irrigação de áreas plantadas.

No vídeo gravado pela reportagem do Valle Noticias é possível ver a quantidade de água que passa pelo duto para os reservatórios em pouco em pouco intervalo de tempo.

Em pouco tempo, alguns vão dizer que é tarde demais, que Carmo do Rio Verde, Ceres e Rialma estarão sem água. É gravíssimo o que ocorre vendo os nossos rios sendo degradados por usineiros por falta de educação/cultura e até mesmo pela ausência de uma fiscalização mais rígida para coibir esses tipos de crimes contra o meio ambiente.

O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Valle Noticias. “Mas para isso, nós precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.

Você também poderá fazer sua denuncia pelo aplicativo de celular WhatsApp do Valle Noticias. A ferramenta está disponibilizada 24 horas por dia pelo número (62) 99629-0978 ou 98550-6289.

NOTA DA CRV

Sobre o conteúdo desta matéria recebemos via e-mail da jornalista Letícia Assis, da Assessoria de Imprensa da CRC Industrial pela MAC Jornalismo, a seguinte nota da CRV, aqui reproduzida na íntegra: 

Nota

A CRV Industrial Ltda. diante da notícia veiculada pelo jornal Valle Notícias e reproduzida pelo Xapuri no dia 31 de agosto sobre a retirada indevida de água dos rios Verde, Uru e das Almas para a irrigação. A empresa esclarece que:

  1. A irrigação utilizada pela empresa é a denominada de “irrigação de salvamento”, ou seja, não se trata de uma utilização plena e contínua. Ao contrário, trata-se de uma irrigação fracionada, realizada em momentos específicos, logo após a colheita da cana.
  2. Toda utilização de águas por parte da CRV Industrial é devidamente outorgada e fiscalizada pelos órgãos ambientais competentes, e que essa utilização é incapaz de provocar qualquer alteração nos níveis da vazão dos Rios e seus afluentes, devido à diminuta quantidade utilizada;
  3. A irrigação feita pela empresa segue o que determinam as outorgas concedidas pelos órgãos ambientais competentes.
  1. A empresa por meio do Plano de Gestão Ambiental busca a preservação e sustentabilidade nas suas atividades. Executando periodicamente o Programa de Monitoramento da Água para reutilizar, reduzir o consumo de água e acompanhar as nascentes.

 A CRV Industrial reforça seu compromisso público com o desenvolvimento sustentável de suas atividades e das comunidades em que está inserida.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: