Do Portal da CUT 

Em vídeo de novembro de 2009, o ex-presidente Lula já avisava aos empresários e políticos de que se continuasse o desmatamento no país, o mundo deixaria de comprar carne e soja do Brasil

O ex-presidente Lula já alertava sobre o desmatamento da Amazônia há 10 anos. No dia 12 de novembro de 2009, durante cerimônia da divulgação do balanço do programa “Mutirão Arco Verde”, Lula disse a uma platéia de políticos e empresários: “Do jeito que o mundo vai, daqui a pouco eles vão dizer: “Olha, não vamos comprar soja do Brasil porque lá tem desmatamento. Não vamos comprar carne do Brasil, porque lá estão ocupando a Amazônia”.

O contraste com o atual governo de Jair Bolsonaro (PSL) também pode ser analisado em números. O desmatamento na região amazônica teve redução significativa, de 27.700 km² em 2004 para 7.500 km², em 2018 ( menos 72%), período que compreende os dois mandatos do ex-presidente Lula e o primeiro mandato da ex-presidenta Dilma Rousseff.

Já nos primeiros meses de governo de Bolsonaro houve alta de 278% nos cortes de árvores em julho deste ano e as queimadas aumentaram 70%.

Em razão do desrespeito ao meio ambiente do atual governo em descumprir acordos de preservação ambiental, a retaliação internacional já dá seus primeiros sinais. Na semana passada, Noruega e Alemanha anunciaram o bloqueio de suas contribuições (mais de 133 milhões de reais) destinadas ao Fundo Amazônia.

Veja o vídeo divulgado pelo Instituto Lula, em que o ex-presidente fala da importância da preservação do meio ambiente em relação ao agronegócio.

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.