O grito verde que anda

A atividade poética é revolucionária por natureza e Pedro Tierra numa estreita relação entre  resistência, cultura e política faz homenagem a Chico Mendes com um toque de revolta, de protesto, mas também de esperança

O grito verde que anda

Francisco. Chico. Chico Mendes.

Seringa. Seringueiro. Seringal.

Legião de homens e sonhos.

Verde rompendo o verde.

Punhal aceso na memória

da água, da pedra, da madeira.

Dos homens?

continua depois da propaganda

A sumaúma, a seringueira,

a pedra do monte Roraima,

o sangue que mina do tronco

nos seringais de Xapuri indagam:

onde a sombra exilada de Chico Mendes?

continua depois da propaganda

Organizador dos ventos gerais

que combatem depois das cercas,

de todas as cercas da terra…

Chico: um grito verde que não cessa.

 

 

Pedro Tierra. Escritor. Poeta da Resistência.

continua depois da propaganda

 

 

Block

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

continua depois da propaganda