fbpx
Arcturianos: os aliens que podem ter influenciado o Espiritismo

Arcturianos: os aliens que podem ter influenciado o Espiritismo

Arcturianos: os aliens que podem ter influenciado o Espiritismo

Segundo uma popular teoria da conspiração, essa raça tem visitado a Terra em segredo para ajudar a humanidade. Ufologia, espiritismo ou pura loucura?…

Por André Bernardo/ via Mundo Estranho

 

NOSSO LAR

Segundo ufólogos, os arcturianos seriam uma raça antiga, muito evoluída científica e espiritualmente. Para ter uma ideia, a tecnologia deles estaria 3 mil anos à frente da nossa. Eles habitam Arcturus, a estrela mais brilhante da constelação do Boieiro (ou Pastor), que fica a 33 anos-luz de distância do nosso sistema solar e é 30 vezes maior que o nosso Sol.

 

O ENIGMA DE OUTRO MUNDO

Em sua evolução, os arcturianos teriam transcendido o corpo físico. Mas, em certas ocasiões, podem ganhar forma humana, com cabeça, tronco e membros. A altura varia de 1 a quase 3 m. A cabeça seria avantajada, com olhos grandes e boca pequena. O corpo seria esbelto, com contornos regulares. Para alguns ufólogos, a pele é azul-esverdeada. Para outros, é alva, quase branca.

 

ELES ESTÃO ENTRE NÓS

Entre outras façanhas, eles seriam capazes de se comunicar pela mente (telepatia), prever o futuro (clarividência) e mover objetos (telecinesia). Suas espaçonaves, entre as mais modernas de todo o Universo, seriam invisíveis – e, segundo estudos britânicos, as verdadeiras responsáveis pelos famosos círculos encontrados nas plantações da Inglaterra, chamados de agroglifos.

 

REPRODUÇÃO SOB CONTROLE

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Ainda segundo ufólogos, essas criaturas não ficam doentes nem sentem dor, e vivem, em média, 500 anos. Em Arcturus, não há guerra, fome, dinheiro ou sofrimento. Anciões muito sábios governam a sociedade e escolhem os casais que poderão ter filhos. Um rigoroso processo de seleção dos candidatos seria a garantia para gerar bebês evoluídos.

 

GUARDIÕES DA GALÁXIA

Eles acreditam em uma força superior, a “fonte criadora”, e têm a missão de ajudar outras raças (inclusive a humana) a evoluir espiritualmente. Eles nos veem como “irmãos caçulas”, daqueles bem encrenqueiros, que têm muito a aprender. Os arcturianos também nos protegeriam, secretamente, de invasões alienígenas.

INFILTRADOS DO BEM

A teoria da conspiração afirma ainda que há habitantes de Arcturus entre nós. Por meio de “buracos de minhoca”, eles conseguem vir à Terra e reencarnar como terráqueos, para transmitir conhecimento e cumprir tarefas. Alguns exemplos seriam Leonardo da Vinci e Nikola Tesla, entre outros gênios da humanidade.

 

CONTATOS IMEDIATOS

O norte-americano Edgar Cayce foi o primeiro paranormal a supostamente se comunicar com os arcturianos, em 1910. No Brasil, Chico Xavier costumava dizer que, entre 2019 e 2057, seriam grandes as chances de fazermos contato com eles. “Esses seres trarão grandes avanços médicos, tecnológicos e científicos nunca antes imaginados”, teria declarado o médium.

Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana do mês. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN Linda Serra dos Topázios, do Jaime Sautchuk, em Cristalina, Goiás. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo de informação independente e democrático, mas com lado. Ali mesmo, naquela hora, resolvemos criar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Um trabalho de militância, tipo voluntário, mas de qualidade, profissional.
Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome, Xapuri, eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também. Correr atrás de grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, ele escolheu (eu queria verde-floresta).
Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, praticamente em uma noite. Já voltei pra Brasília com uma revista montada e com a missão de dar um jeito de diagramar e imprimir.
Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, no modo grátis. Daqui, rumamos pra Goiânia, pra convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa para o Conselho Editorial. Altair foi o nosso primeiro conselheiro. Até a doença se agravar, Jaime fez questão de explicar o projeto e convidar, ele mesmo, cada pessoa para o Conselho.
O resto é história. Jaime e eu trilhamos juntos uma linda jornada. Depois da Revista Xapuri veio o site, vieram os e-books, a lojinha virtual (pra ajudar a pagar a conta), os podcasts e as lives, que ele amava. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo a matéria.
Na tarde do dia 14 de julho de 2021, aos 67 anos, depois de longa enfermidade, Jaime partiu para o mundo dos encantados. No dia 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com o agravamento da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.
É isso. Agora aqui estou eu, com uma turma fantástica, tocando nosso projeto, na fé, mas às vezes falta grana. Você pode me ajudar a manter o projeto assinando nossa revista, que está cada dia mió, como diria o Jaime. Você também pode contribuir conosco comprando um produto em nossa lojinha solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação via pix: contato@xapuri.info. Gratidão!
Zezé Weiss
Editora

Slide 1

HORA DE VESTIR A CAMISA DO LULA

CONTRIBUA COM A REVISTA XAPURI
PIX: contato@xapuri.info

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO