O mundo acaba de conhecer uma descoberta surpreendente:  O jornal científico  Current Biology anunciou recentementre a descoberta de um fóssil de dinossauro com idade estimada em 99 milhões de anos, com um rabo que contém ossos, pele até penas.

Descoberto em uma mina do estado de Kachim, em Myanmar, o fóssil está preservado em âmbar, resina semitransparente produzida por árvores da região, considerada a área coma maior diversidade de fauna e flora preservada em âmbar no mundo.

Pela primeira vez na História o estudo, liderado por Lida Xing, da Universidade de Geociências da China, e patrocinado em parte pela da revista National Geographic, os cientistas documentaram claramente a presença de penas fósseis bem preservadas em fóssil de dinossauro, resultando em uma melhor compreensão da evolução e anatomia desses animais pré-históricos.

O fóssil  data de meados da era cretácea e tem o tamanho de uma fruta pequena. Cientistas acreditam que ele retrata um dos primeiros momentos onde ocorreu diferenciação entre o desenvolvimento de penas de dinossauros para penas de aves.

Com base na estrutura anatômica do rabo do animal,  os pesquisadores teorizam que ele pertencia a um jovem coelurossauro. Os coelurossauros representam um subgrupo de dinossauros que abrange tiranossauros e aves.  Hoje, muitos cientistas consideram as aves como dinossauros vivos e evoluídos.

No entanto, segundo os pesquisadores, as penas no fóssil pertencem a um dinossauro incapaz de voar. As penas provavelmente teriam função de regular temperatura e/ou eram usadas  como equipamentosde  sinalização e comunicação.

Para Xing, o cientista  líder da expedição, no futuro próximo haverá mais achados incríveis vindos de Myanmar. Segundo ele, conflitos entre o governo de Myanmar e o Exército de Independência de Kachin estão chegando ao seu fim e resultarão em um aumento de acesso às  minas de âmbar por cientistas. Com isso, Xing sonha em encontrar um dinossauro preservado por completo.

Fotos: National Geographic

About The Author

Eduardo Pereira

Produtor Cultural

Related Posts

Deixe uma resposta