Thiago de Mello

Caboclo bom não padece de falsa modéstia. Digo contente que sou ariramba. É o nome de uma ave azulada, peito branco, bico comprido, célere de voo. Manhã de sol intenso, ela fica mais azul. Voa rasteira e faz      ninho num buraco de barranco.

Quem nasce em Barreirinha, pátria minha, o povo da floresta chama de ariramba. Os de Manicoré, como o querido Coriolano Lindoso, são chamados de bacurau, pássaro noturno.

 

Thiago de Mello – Poeta maior da Amazônia, em “Amazonas: Águas, Pássaros, Seres e Milagres”. Editora Salamandra, 1998.

Salve! Este site é mantido com a venda de nossos produtos. É também com a venda deles que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar nosso e-book Réquiem para o Cerrado, ou assinar nossa revista Xapuri, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência.  Nossa Loja Solidária está em manutenção e volta em breve, com lindas camisetas e mais novidades. Até lá, precisando de algo, por  fale conosco via WhatsApp: 61 9 99611193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: