Por Eduardo Pereira

É provável que você já tenha ouvido a música Assum Preto, composta por Luiz Gonzaga, descrevendo a maldade feita com uma ave passeriforme da família Icteridae, comumente avistada por todo o território brasileiro.

Também conhecida no Nordeste como graúna (derivado do tupi “guira-uma” = ave preta), no Maranhão como chico-preto, no Mato Grosso como arranca-milho, chopim e chupão, e nas outras regiões do Brasil como cupido, melro e pássaro-preto, ainda existem regiões no Brasil onde são vistos em gaiolas, cantando incessantemente.

A razão para essa crueldade: diz-se que como o assum preto só canta durante a noite, os passarinheiros furam seus olhos com espinhos de laranjeira para que, em estado de escuridão eterna, “pra ele assim, ai, cantá mió”.

Embora essa prática seja largamente combatida por ambientalistas e amantes da natureza, infelizmente ainda hoje há relatos de graúnas, e também de sabiás, com os olhos furados por esse Brasil afora. Confira a letra do mestre Luiz Gonzaga:

Tudo em vorta é só beleza
Sol de abril e a mata em frô
Mas Assum Preto, cego dos oio
Num vendo a luz, ai, canta de dor

Mas Assum Preto, cego dos oio
Num vendo a luz, ai, canta de dor

Tarvez por ignorança
Ou mardade das pió
Furaro os oio do Assum Preto
Pra ele assim, ai, cantá mió

Furaro os óio do Assum Preto
Pra ele assim, ai, cantá mió

Assum Preto veve sorto
Mas num pode avuá
Mil vez a sina de uma gaiola
Desde que o céu, ai, pudesse oiá

Mil vez a sina de uma gaiola
Desde que o céu, ai, pudesse oiá

Assum Preto, o meu cantar
É tão triste como o teu
Também roubaro o meu amor
Que era a luz, ai, dos oios meus
Também roubaro o meu amor
Que era a luz, ai, dos oios meus

Eduardo Pereira – Sociólogo. Produtor Cultural.

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193.  

Comentários

%d blogueiros gostam disto: