Projeto Pássaro Solto

Por Redação

Um dos objetivos do projeto é proporcionar aos jovens atendidos a oportunidade de uma formação profissional, que desenvolva aptidões culturais e artísticas, visando a inclusão social e econômica através da fotografia. A geração de renda virá de forma alternativa como possibilidade de auxiliar na vulnerabilidade econômica típica da região onde a tecnologia foi realizada. O Projeto se baseia nas “Diretrizes para Projetos de Prevenção à Violência entre Jovens”, (BRASIL, et al., 2014), que é um dos produtos do Projeto Juventude e Prevenção da Violência, realizado pelo Ministério da Justiça, que traz à tona a violência como uma das maiores preocupações dos habitantes. E não é à toa que hoje a sensação de insegurança se espalha amplamente entre a população.

O Público alvo, jovens estudantes de 14 a 17 anos, estudantes do ensino fundamental e médio da rede pública, residentes nas comunidades do entorno da Reserva Biológica do Tinguá, participaram de aulas semanais, sempre no contra turno escolar, onde se discutia temas relevantes sobre a fauna e flora local. O Projeto recebeu o nome de Pássaro Solto, devido a cultura de criação de pássaros em gaiolas e pela diversidade de pássaros existentes no local onde as aulas práticas, seriam realizadas, na Reserva Biológica do Tinguá, parceira da instituição.

O foco das atividades é a capacitação, por meio de oficinas para a prática e documentação da vida selvagem e dos elementos abióticos do ambiente, como os rios, florestas, e as paisagens da Mata Atlântica. Além das aulas práticas sobre o uso de equipamentos fotográficos, e a fotografia subaquática, os alunos também tiveram aulas sobre drones e aulas de educação ambiental. Além de um olhar refinado, um bom fotografo precisa ter técnica, entender de enquadramento, luz, foco, edição de imagens e estar em constante atualização, e essa foi uma das preocupações dos profissionais envolvidos no projeto.

Fonte: Onda Verde

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: