O céu mais limpo do Brasil, segundo a Ciência, é perfeito para a observação da Via Láctea, para o estudo da astronomia. Em Goiás, no município de Cristalina, no santuário ecológico da Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) Linda Serra dos Topázios, cientistas inovam com cursos e práticas de Ecoastronomia.

Em 2016, no começo do mês de julho, o Museu de Ciência e Tecnologia, sediado na Universidade de Brasília (UnB), em parceria com a RPPN, a Prefeitura de Cristalina, a 3ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército e vários outros parceiros, realizou mais esse evento educativo na Linda Serra dos Topázios.

Nos dias 2 e 3 de julho, estudantes e professores da UnB, alunos de escolas de Cristalina e o público em geral puderam participar de aulas teóricas e práticas, desde a observação da Via Láctea em potentes lunetas e de um planetário móvel à admiração noturna do céu da Reserva, somando conhecimentos básicos de Astrofísica, Cosmologia e de Ciências Ambientais.

Os cursos de Ecoastronomia ministrados da Reserva vem de longa data e são parte da inspiração e da herança da ambientalista Adnair França dos Santos, a Dina, falecida em 2007, aos 52 anos, vítima de um aneurisma cerebral. Dina e seu companheiro Jaime Sautchuk, foram pioneiros na implantação do projeto Ecoastronomia no Cerrado, em parceria com a UnB.

Também juntos, Dina e Jaime idealizaram o hoje mundialmente conhecido Festival Internacional do Cinema Ambiental (FICA), que acontece anualmente na cidade de Goiás,  também conhecida como Goiás Velho, Goiás.

Sob a coordenação de Jaime, a Reserva Particular de Patrimônio Natural Linda Serra dos Topázios foi criada em 1994 para preservar área de Cerrado e difundir conhecimentos ambientais, históricos e de várias outras áreas.  Dentre elas, a parceria com a Universidade de Brasília nos cursos de Ecoastronomia, coordenados pelo astrofísico José Leonardo Ferreira, professor da UnB.

 

Para mais informações contatar: (61) 9  8135 6822 – também zap

Deixe uma resposta