O fim de Bolsonaro

Por Moisés Mendes

Um Jânio, um Collor, um Fujimori? Estão tentando enquadrar Bolsonaro num desses exemplos. Mas todas as tentativas de comparação com as figuras e os seus desfechos trágicos são até desrespeitosas com os citados.

Bolsonaro é um caso único. Nenhum dos outros contou tanto com a incapacidade de discernimento das pessoas em circunstâncias políticas complicadas.

Dito de outra forma, nenhum dispôs tanto da desinformação e da ignorância (combinadas com o ódio e a mentira) para tentar se manter no poder a qualquer custo num momento de desespero.

Jânio, Collor e Fujimori construíram trajetórias políticas consistentes, mesmo que tortuosas, e Bolsonaro não tem história nenhuma.

Bolsonaro é apenas uma invenção da mente doentia do antipetismo das elites, da classe média decadente e de pobres que tentam se comportar como ricos.

Bolsonaro é a expressão de um fascismo gasoso, que pode se dissipar no ar a qualquer momento, se for abandonado pelos que o criaram, como parece que já está acontecendo.

Na reaparição na cerquinha do Alvorada hoje, ficou claro que Bolsonaro está abatido e aéreo, desconcentrado.

Um empurrão derruba Bolsonaro e toda a estrutura que o mantém esperneando. Falta só o empurrão.

Fonte: Blog do Moisés Mendes

Moisés Mendes é jornalista em Porto Alegre, autor de “Todos querem ser Mujica” (Editora Diadorim).

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826

 

One Response

Comentários

%d blogueiros gostam disto: