Por Edmar Scarabello

Família é homem e mulher, o resto é lixo”, diz Bolsonaro, o cristão.

País só tem espaço para os melhores”, diz Weintraub a crianças e adolescentes.

Cine Privé

Caros senhores, Bolsonaro e Weintraub, por vezes me percebo confuso em conseguir distinguir a diferença entre vossa forma de fazer política e os filmes de pornografia. Talvez porque ambas as formas me parecem com a mesma essência, a putaria.

Perdoem-me minha deficiência educacional e falta de capacidade de análise e discernimento, ou talvez por eu ainda ser um garoto virgem na puberdade onde vê sexo em tudo.

Acho tão religiosos e eróticos os valores da família tradicional do presidente. Isso provavelmente explica o motivo que ele incentiva estrangeiros a vir fazer sexo com as brasileiras, e o motivo que ele troca de esposa igual troca de cueca.

Eu gosto de tradição. Ainda mais nessa minha fase de virgem na puberdade onde eu, assim como o presidente, também desejo comer o mundo inteiro, de preferência usando tortura. O sadomasoquismo é uma deliciosa loucura. Coisa de família tradicional cristã e do bem.

Provavelmente esses valores também explicam o motivo de existirem mais de 5 milhões de crianças no Brasil sem o nome do pai no registro, e mais de 12 milhões de mães que criam seus filhos sozinhas. Como é lindo o Maravilhoso Mundo de Alice da família tradicional brasileira.

Para deixar esse filme erótico ainda mais romântico, o senhor Weintraub lança programas de meritocracia. Com brutal corte de verbas do orçamento da Educação, afetando desde o ensino básico até o superior, Weintraub disse que o governo vai aumentar em 50% os repasses ao Ensino Fundamental, porém, seguindo a sua lógica meritocrática, o suposto aumento será “com critérios de desempenho, não para dar dinheiro a fundo perdido”.

Isso que eu chamo de sexo selvagem. Puberdade é uma fase muito excitante. Estou excitado, mais uma vez. Nada mais confortável para um governante do que tratar milhões de crianças e adolescentes como fundo perdido. Difícil mesmo é investir para assegurar acesso à Educação de qualidade para todos, especialmente num país tão desigual, com tantos “cristãos a la Bolsonaro” fazendo filhos por aí, abandonando famílias e brincando de bom pastor para continuar comendo as ovelhinhas.

Mais difícil ainda seria o governo, ao invés de tirar o mérito de cada ser humano ser um cidadão da sociedade, combater o real problema que assola esse país. Combater a corrupção de frente, inclusive dentro da própria Polícia Federal. Combater as milícias e os traficantes de drogas que dominam cidades inteiras e transformam milhões de crianças e adolescentes, de famílias tradicionalmente desestruturadas, em dependentes ou aviõezinhos.

Qual seria o mérito desse combate? Sobrariam milhões e milhões de verbas do governo para investir em Educação de qualidade para todos. Pena que ninguém no governo tenha “culhão” para isso, não é mesmo, senhor ministro? Melhor continuar tomando “suco de laranja” nas orgias que os senhores promovem nos bastidores.

Talvez porque tanto o senhor quanto o presidente são a representação máxima do macho alfa que gosta de comer o povo, mas numa suruba com as milícias, traficantes e banqueiros são os senhores que acabam sendo comidos.

O senhor como ministro da Educação é um excelente economista. Pena que, ao invés de combater os juros abusivos dos bancos que batem recordes e recordes de lucro num país quebrado economicamente, escravizando a alma da vida de tanta gente humilde e assalariada, o senhor prefira separar essa gente e classificá-la como “fundo perdido”.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Em anexo uma foto do meu desempenho escolar quando eu estava no ensino fundamental. Se eu fosse depender do governo, eu teria me tornado um fundo perdido.

Peço para o senhor ministro não reparar meus erros de português, até porque o senhor não tem mérito nenhum neste quesito, mas, mesmo assim, se tornou ministro da Educação. Ironia ou putaria do destino? Qual o mérito educacional para o filho do presidente virar Embaixador? Me responda, por favor.

Para o presidente da família cristã tradicional eu gostaria de dizer que eu preferiria ser um filho adotado por um casal de gays do que tê-lo como pai. Talvez porque eu prefira estar num ambiente que as pessoas chamam de “lixo de família” do que ser um lixo de pessoa feito nosso presidente.

Para aqueles que só entendem a realidade através da música e da arte, finalizo com um trecho da música “Mama África”, do cantor, compositor e fundo perdido, Chico César.

“Mama África
A minha mãe
É mãe solteira
E tem que
Fazer mamadeira
Todo dia
Além de trabalhar
Como empacotadeira
Nas Casas Bahia…

Mama África, tem
Tanto o que fazer
Além de cuidar neném
Além de fazer denguim
Filhinho tem que entender
Mama África vai e vem
Mas não se afasta de você…”

Gostou do filme de hoje no Cine Privé? Eu gozei.

Edmar Scarabello

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: