Anúncios

Não foi acidente! É sim Genocídio e Etnocídio sistemáticos!

Do Facebook da Jéssica Tôrres

Em 2015 mataram o Watu (Rio Doce), que é uma fonte de vida e energia sagrada para os Borum [Burum], o povo indígena Krenak.

Em 2019 matam nosso Paraopeba, que banha a aldeia Naô Xohã , do povo indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe.

Todo um trabalho de preservação do rio e seu entorno, está agora seriamente machucado. E o São Francisco ameaçado.

Minas Gerais é um estado que faz questão de silenciar sua população indígena, vendendo uma imagem de progresso e desenvolvimento em detrimento do povo rural, quilombola e originário.

Um estado que tem vergonha de suas origens e que mata quem ontem deu sangue, suor e muitas lágrimas para sustentar essa dita “mineiridade”.

Ontem foram os Borum que choraram, hoje os Pataxó. Amanhã não sabemos qual etnia vai ter sua existência e bem-viver ameaçados pela ganância dos Juruá.

Seguimos resistindo juntos.

Muká, Mukaú!

ANOTE!

Este texto encontra-se na página de Jéssica Torres, no Facebook. Foram feitos pequenos ajustes editoriais pela redação da Xapuri.

Foto interna: Povo Indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe – Cimi. Foto de capa: EBC, mulher Pataxó em atitude de denúncia, ilustrativa.

 

Anúncios

One Response

Comentários

X
%d blogueiros gostam disto:
preloader