Bolsonaro é denunciado no Tribunal Internacional de Haia por ‘crimes contra a humanidade’ e ‘incitação ao genocídio de povos indígenas’

Mônica Nunes

Em agosto, divulguei aqui, no Conexão Planeta, dois movimentos de advogados para transformar Bolsonaro em réu por crimes contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional (TPI) ou Corte Internacional de Haia, sediada na cidade holandesa de Haia.

Um era formado por especialistas em direitos humanos, direito ambiental e internacional, liderado por Eloisa Machado, professora de direito constitucional da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ainda redigia documento. O outro, organizado por cinco advogados do Instituto Anjos da Liberdade – Flávia Pinheiro Fróes, Nicole Giamberardino Fabre, Daniel Sanchez Borges, Ramiro Rebouças e Paulo Cuzzuol – , já havia protocolado pedido junto ao TPI.

Ontem, 27/11, o primeiro grupo – Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHu), em parceria com a Comissão Arns – denunciou Bolsonaro ao TPI por “crimes contra a humanidade” e por “incitar o genocídio e promover ataques sistemáticos contra os povos indígenas do Brasil”. O Tribunal ainda vai avaliar a representação. Caso a denúncia seja aceita, abrirá processo de investigação.

O Coletivo atua de forma pro bono em casos de interesse público desde 2012 e a Comissão reúne ex-ministros de Estado e notáveis da sociedade brasileira – entre eles, o ex-ministro José Carlos Dias (Justiça) – mobilizados em defesa dos direitos humanos.

Fonte: Conexão Planeta

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Leave a Reply

Your email address will not be published.