Memória

Desculpa, TiZé!

Desculpa, Tizé! O desassossego/As furadas na pele/O senhor sempre tão calmo/Tão elegante!/Desculpa também/A não despedida./Não é minha culpa/Mas me desculpa? Por Iêda Vilas-Boas É daqui do meu Cerrado Que si...

Saudades do Jorjão

Saudades do Jorjão - Aqui por Brasília, corações apertados continuam lembrando da falta que faz Jorge Luiz dos Santos Ferreira, o amigo Jorjão, que nos deixou fora do prazo combinado, como diz Rolando Boldrin. ...

A Festa do Mundo

A Festa do Mundo Por Honestino Monteiro Guimarães - Eu espero a festa do mundo inteiro a cantar a manhã que chegou mais bela que as outras manhãs, porque a noite que a precede é uma noite mais negra que ...
A Rosa Imperecível

A Rosa Imperecível

Dona Rosa Magalhães não morreu, porque a vida eterna, a imortalidade é dos que defendem os pobres. É inadequado dizer-se que ela descansou, já que Dona Rosa Magalhães nunca manifestou cansaço. Por Clodomir San...

O boi de mestre Teodoro

O boi de mestre Teodoro - O folclore maranhense sempre foi muito bem representado no Distrito Federal pelas brincadeiras e danças que Teodoro Freire, o mestre entre os mestres, conduziu – e muito bem – nos espa...