fbpx
Chapa CUTista vence eleições do Sinpro/DF combinando experiência e renovação

Chapa CUTista vence eleições do Sinpro/DF combinando experiência e renovação

Chapa CUTista vence eleições do Sinpro/DF combinando experiência e renovação

Professoras e professores do DF foram às urnas eleger os representantes da categoria…

Por CUT/DF

Encerrada às 5h45 desta sexta-feira (27), a apuração dos votos das eleições do Sinpro/DF registrou a vitória da Chapa 1 – Com você, Por Você, eleita com 72,71% dos votos válidos. O processo eleitoral teve início no dia 25 de maio, e foram disponibilizadas 168 urnas, sendo 42 fixas e 126 itinerantes. A chapa CUTista mantém nomes da antiga gestão e traz novos quadros para a entidade, um equilíbrio entre experiência e renovação previsto no estatuto do Sindicato. 

Entre os nomes que serão alterados na nova diretoria, está o de Rosilene Corrêa, que se tornou uma grande liderança da categoria e agora deixa a direção do Sindicato para assumir outros espaços de atuação. A dirigente sindical é hoje a tesoureira da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, dirigente nacional da CUT e pré-candidata do PT-DF ao Senado Federal. 

“A renovação é algo extremamente saudável, seja em que espaço for. Claro que ela precisa acontecer no tempo certo, com equilíbrio, para abrir espaço para novas lideranças, mas sem abrir mão da experiência. É isso o que o nosso estatuto garante, uma renovação de 30% a cada triênio, isso nos permite formar quadros necessários, com tempo suficiente, para que tenhamos boas e bons representantes da categoria”, afirmou Rosilene. 

Para a líder sindical, os desafios postos às entidades de classe e a seus dirigentes são enormes no período em que vivemos, pois a classe trabalhadora sofre fortes ataques e isso exige dos dirigentes sindicais uma capacidade ainda maior de organizar a sua base para enfrentar esses desafios. “Nós da educação, além de uma extensa pauta dos nossos direitos trabalhistas, temos a tarefa da defesa da educação pública, que sofre uma grave ofensiva. Mais do que nunca a nossa pauta vai além dos anseios da nossa categoria. Esta nova gestão deve pautar muito o diálogo, a leitura do mundo e a nossa efetiva atuação para mudar esse cenário político que vemos no Brasil”, refletiu. 

Rosilene Corrêa afirmou ainda que o Sinpro/DF tem um papel fundamental em seu processo de formação política. “Não consigo olhar para a  minha vida sem ter o Sinpro como destaque. Esse período de atuação na direção do Sindicato, podendo representar uma categoria que tenho muito orgulho de fazer parte, as oportunidades, as experiências vividas, que me fizeram ser quem eu sou”.  

Nova direção, grandes desafios 

Para Luciana Custódio, reeleita à direção do Sinpro-DF, a expressiva votação da Chapa 1 é reflexo do trabalho desenvolvido nos últimos anos, “que teve como pilares o compromisso e a responsabilidade com a categoria”.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

“Nossa categoria foi às urnas e mostrou que reconhece o nosso trabalho. Agora, temos à frente o desafio de reestabelecer a educação como prioridade no DF. Embora tenhamos feito o impossível para que nossas crianças e adolescentes não ficassem sem o direito à educação durante a pandemia, o cenário é crítico. Nós fizemos nossa parte, mas o GDF abandonou a educação. E hoje faltam até professores nas escolas públicas”, disse a dirigente sindical.

Luciana Custódio lembra que, desde o ano passado, o Sinpro-DF vem insistindo no diálogo com o GDF para que fossem realizadas iniciativas que convergissem com a recomposição salarial pleiteada pela categoria. “Estamos há sete anos sem reajuste salarial. Fizemos todos os esforços para que as nossas perdas fossem compensadas, mas o GDF se mostrou intransigente. Conseguimos sim avanços importantes, como a incorporação do auxílio saúde ao vencimento e o pagamento da última parcela do reajuste salarial conquistado em 2013, devida desde setembro de 2015. Mas ainda há muito a avançar, e não abriremos mão disso”.

A dirigente reeleita do Sinpro-DF lembra que o objetivo da categoria do magistério público é alcançar a Meta 17 do Plano Distrital de Educação, que equipara o vencimento básico de professores e professoras à média da remuneração das demais carreiras de servidores públicos do DF com nível superior.

Além de lutar pela recomposição salarial do magistério público, a Chapa 1 – Com Você, Por Você traz como propostas a luta pela incorporação da Gaped, a realização de concurso público e convocação imediata para carências definitivas, a luta contra a educação domiciliar, a eleição direta para diretores e vice, entre outros pontos.

Slide 1

HORA DE VESTIR A CAMISA DO LULA

CONTRIBUA COM A REVISTA XAPURI
PIX: contato@xapuri.info

Block

Assine a revista Xapuri Socioambiental e contribua para nosso projeto de resistência e solidariedade

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO