Anúncios

Primeiro de Maio: Trabalhadores em Luta – 

Por: Gustavao Dourado 

Primeiro de Maio é história
Trabalhadores em luta
A gravidade da vida
A incessante labuta
O sistema nos oprime
Com a sua ganga bruta

1º de maio de 1886:
A luta do operário…
Trabalho organizado:
Melhoria de salário:
A violência do poder:
Presente em meu diário…

Primeiro de Maio é história:
Trabalhadores em luta…
A gravidade da vida:
A incessante labuta…
O sistema que oprime:
Com a sua ganga bruta…

“Trabalhadores, uni-vos”:
Karl Marx já dizia…
Na dialética da vida:
Sobrevive-se na agonia…
Escravidão pós-moderna:
Novo tempo se anuncia…

É o capital que oprime:
Com a sua mais valia…
O magnata que lucra:
Que reprime a poesia…
Que acorrenta o sonho:
E a ilusão da fantasia…

É hora de despertar:
Buscar a cidadania…
Na greve, na passeata:
Assembleia do dia-a-dia…
Na fábrica, no sindicato:
Que a peleja se anuncia…

Chega de alienação:
Liberte-se, se oriente…
A união faz a força:
Na rebeldia da gente:
O grito da multidão:
Revolução permanente…

Bombas, gás, reprimenda:
Abuso de autoridade
O cassetete deseduca
Vive-se na insanidade
Fala-se em demo cracia
Acorrentam a liberdade

Trabalha-se de sol a sol
Não se tem mobilidade
Falta tudo no hospital
Roubaram a privacidade
Assaltaram a consciência
Sofre-se na sociedade.

Professores sem valor
Com salário congelado
Se reclama, reivindica
O mestre é destratado
No lombo o cassetete
Da polícia do Estado

O terror oprime o povo
Sobe o juro bancário
Banqueiro a enricar
Com o lucro milionário
E nossa gente na fila
Do sofrimento diário

Desemprego, inflação
A mídia, a falsidade
Jabaculê, concussão
Mentira em publicidade
Multiplicam a pobreza
Reina a imoralidade

Imposto, Fome, Corrupção
Fator Previdenciário
Tudo aumenta todo dia
Arrocha-se nosso salário
Sonegam, roubam, desviam
Tratam o povo como otário

Crimes os mais diversos
Contra a população
O caos está implantado
Justiça na contramão
A injustiça prevalece
Impera a corrupção

Violência, medo, vilania
Pulsa a midiocridade
Poluição, desmatamento
Age mal a autoridade
Furtam a luz do dia
O povo fica na saudade

Será que a coisa muda?!
No ambiente deletério
O rico não fica preso
Tem as rédeas do imperio
É hora de transformar
Este nosso cemitério

Vamos respeitar o ser
Viver amor de verdade
Deixar de acumular
O ouro da iniquidade
Equilibrar o planeta
Cultivar fraternidade

Imagem: CPDOC-FGV

ANOTE AÍ:

gustavo_dourado-dzai-com-br

 

 

 

Gustavo Dourado é um dos maiores poetas-cordelistas do Brasil. Sua excelente e extensa produção literária pode ser encontrada em www.gustavodourado.com.br/cordel.htm.  Gustavo é também presidente da Academia de Letras de Taguatinga.

Anúncios

2 Responses

  1. Melania Ludwig

    Do ponto de vista histórico sobre o 1* de Maio, muito válido, mas não podemos esquecer que os sindicatos já não são mais os mesmos. Lutam por peleguismos e arrecadação de $$$ Os trabalhadores já não são o maior interesse.

    Responder
    • Eduardo Pereira

      Com todo respeito à sua opinião, os Sindicatos continuam sendo fundamentais para a organização da classe trabalhadora.

      Responder

Comentários