Escutar música em volume alto e frequentar lugares barulhentos comprometem a audição de jovens.

Cada vez mais adolescentes brasileiros apresentam sintomas  de tinido (zumbido nos ouvidos), incluindo a perda de audição, diz um estudo recente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).  Tinido é o termo médico para a percepção de um som que não apresenta fonte externa, fora do corpo, em ruídos descritos como zumbido, assovio o chiado, muitas vezes causando graves danos à saúde.

Como causa, o estudo aponta alguns hábitos juvenis, como escutar música com fones de ouvido por muito tempo e frequentar lugares que tocam música em volume alto, como boites e shows, o que acarreta um risco grande de perda de audição. “Se os adolescentes continuarem se expondo  a ruídos muito altos, provavelmente irão sofrer alguma perda da sua audição antes de chegarem aos  30 ou 40 anos,” afirma Tanit Ganz Sanches, professora de otolaringologia na USP e principal pesquisadora do estudo.

Além da aplicação de um questionário, os pesquisadores examinaram os ouvidos  de 170 estudantes entre 11 e 17 anos. Mais de metade deles (54,7%) relataram  sintomas de tinido. “A prevalência de sintomas causa alarme”, diz Sanchez. “Havia uma noção que o tinido era problema de pessoas mais velhas, porém estamos vendo o aumento de sintomas entre jovens e até em crianças,  devido à exposição a ruídos cada vez mais de alta intensidade, dentre outros fatores.”

“Descobrimos que adolescentes sentem os efeitos do tinido frequentemente, porém não relatam os sintomas à sua família ou aos seus professores. Em consequência, eles não vão a médicos ou especialistas e, assim, o problema pode virar algo crônico.” Para a pesquisadora Sanchez, o uso frequente de sons super altos até os 25 ou 30 anos pode causar danos progressivos às células capilares, levando cada vez mais  jovens a tornarem-se  surdos a uma idade relativamente precoce.

ANOTE AÍ:

Para mais informações sobre o assunto, sugerimos acessar a fonte original consultada para a elaboração desta matéria:  www.fapesp.br.

 

About The Author

Eduardo Pereira

Produtor Cultural

Related Posts

Deixe uma resposta