Marinha do Brasil inicia nova expedição à Antártica

Renan Lúcio

Zarpou ontem do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro o navio polar Almirante Maximiano, que passará seis meses na Antártica com cerca de 70 militares e 30 cientistas, dando apoio ao desenvolvimento de projetos de pesquisas na região.

Comandado pelo capitão de mar e guerra Pedro Augusto Bittencourt Heine Filho e com suporte do navio de apoio oceanográfico Ary Rongel, o Almirante Maximiano participará da trigésima sétima Operação Antártica (OPERANTAR XXXVII), a sua décima, com escalas em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, Punta Arenas, no Chile, Ushuaia, na Argentina, e Montevidéu, no Uruguai. A previsão é a de que ele retorne à capital fluminense em abril do ano que vem.

© SPUTNIK . RENAN LÚCIO
Navio do Brasil rumo à Antártica

Em entrevista à Sputnik Brasil, o comandante destacou que a missão é muito importante tanto para a Marinha como para o Brasil em geral. Segundo ele, além de servir como suporte aos pesquisadores, o Tio Max, como é conhecido o navio, também prestará apoio à reconstrução da nova Estação Antártica Comandante Ferraz, que deve ser inaugurada no início de 2019.

Marinha brasileira

Capitão de mar e guerra Pedro Augusto Bittencourt Heine Filho (esquerda), no convés do navio polar Almirante Maximiano, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro | © SPUTNIK / RENAN LÚCIO

“A Marinha vem realizando, desde 1983, essa parceria com todos os institutos de pesquisa do Brasil que estão habilitados a fazer pesquisas na Antártica. Nós somos a plataforma que melhor pode apoiar esses projetos, porque nós levamos os pesquisadores até os pontos onde eles realizam as suas pesquisas, as coletas, e coletam todas as informações necessárias para os seus projetos.”

Em sua segunda viagem ao continente gelado, o capitão deixará saudades em sua família aqui no Brasil enquanto se aventura pelo Polo Sul. Mas, segundo sua mãe, essa distância pode ser encarada também como motivo de orgulho:

Marinha brasileira

© FOTO : MARINHA DO BRASIL/DIVULGAÇÃO Marinha do Brasil inicia série de operações conjuntas intercontinentais

“A comunicação é feita através dele, mandando mensagens, e-mails […] A saudade é muito grande, profunda. Mas, ao mesmo tempo, nos deixa muito felizes, porque representa realmente um sucesso pleno do meu filho comandando esse navio”, disse também à Sputnik dona Lícia Heine.Incorporado à Marinha do Brasil em 3 de fevereiro de 2009, o navio polar Almirante Maximiano possui comprimento total de 93,4 metros, deslocamento carregado de 5.540 toneladas, velocidade máxima mantida de 11,5 nós e acomodação para até 119 pessoas. Seu sistema de propulsão é alimentado por dois motores diesel de 12 cilindros Caterpillar modelo 3612DI, com 4.260 HP, enquanto a geração de energia depende de dois geradores de eixo AVK D-8070 1.464 KW, um motor Caterpillar 3512 V12 1424 KW e um diesel-gerador de emergência Cummins NTA855 250 KW. O navio dispõe de três lavanderias, quatro locais para refeições, televisão, DVD, videogames, conjunto de som, jogos de salão, academias de ginástica, biblioteca, enfermaria e gabinete odontológico, entre outras instalações e facilidades.

ANOTE AÍ

Fonte: Sputnik Brasil

Anúncios

Comentários

X
%d blogueiros gostam disto:
preloader