A picada da aranha Phoneutria nigriventer,  popularmente conhecida como aranha armadeira, é venenosa, produz dores terríveis e leva a maioria de suas vítimas ao hospital.

Em certas áreas rurais do Brasil, seres humanos do sexo masculino picados pelo aracnídeo são rapidamente identificados nas Emergências dos hospitais por apresentar um sintoma “secundário”.

Pessoas picadas pela aranha armadeira sentem um súbito aumento da  pressão arterial e, nos homens, além da dor, também ocasionam ereções que podem  durar até quatro horas.

Segundo cientistas, a ereção no homem é estimulada pela produção da substância bioquímica conhecida como ácido nítrico.  Liberado por neurônios, o ácido nítrico desencadeia um processo de dilação dos vasos sanguíneos do órgão genital masculino.

A maioria dos medicamentos contra a disfunção eréctil age contra substâncias químicas que inibem ereções;  o veneno de aranha age de forma diferente, aumentando a produção de óxido nítrico na corrente sanguínea, e isso é o que ocasiona a ereção.

Por essa razão, pesquisadores acreditam que o estudo das toxinas da aranha armadeira podem resultar em medicamentos mais potentes e mais efetivos para combater a disfunção erétil.

ANOTE AÍ:
  • O Brasil e a Austrália são os países que abrigam o maior número de aranhas venenosas do mundo.
  • As aranhas armadeiras, extremamente comuns em todos os biomas brasileiros, são consideras as aranhas mais venenosas e fatais da Terra, segundo o Guinness.
  • As armadeiras têm em média um corpo de 5 centímetros e patas de até 17 centímetros. O veneno que carregam em suas patas é letal para pequenos animais. Com 0,006 mg desse veneno se mata um rato.
  • A aranha armadeira é uma das que mais causa acidentes no Brasil, ficando atrás apenas da aranha-marrom.
  • Existe registo de mais de 7 mil casos de picadas de aranhas-armadeiras no Brasil, felizmente com poucas mortes, porque há antídotos eficientes para o tratamento de suas picadas. (Fonte: http://www.megacurioso.com.br)

About The Author

Eduardo Pereira

Produtor Cultural

Related Posts

Deixe uma resposta