fbpx
Cobra Cipó
Foto por Cezar Santos

Cobra Cipó, Boiobi, Cobra Verde

Cobra cipó é um nome popular atribuído a inúmeras espécies de serpentes que possuem padrões de cores e formatos semelhantes aos da vegetação, e utilizam a ponta da cauda e seu longo corpo, que pode medir até 1,5 m, para se prenderem nos galhos das árvores, sendo muitas vezes confundidas com os cipós…

Por Cezar Santos

 

Algumas espécies são conhecidas como “boiobi” que, em tupi-guarani, significa “cobra verde”, porém, o padrão de coloração pode variar de acordo com a espécie.

O gênero Philodryas compreende algumas espécies distribuídas ao longo da América do Sul, que alimentam-se de aves, lagartos, anfíbios e pequenos mamíferos.

Muito estigmatizadas, as serpentes, em geral, sofrem com o misticismo de lendas e crendices, que alimentam o medo e o imaginário das pessoas. Embora, algumas espécies sejam peçonhentas, representando riscos de acidentes graves para o ser humano, geralmente são animais tranquilos, que fogem ao perceberem algum perigo e sentirem-se ameaçados. Os acidentes são comumente atribuídos ao descuido ou à imprudência do ser humano.

As serpentes, também exercem um enorme fascínio nas pessoas, e apesar de toda má fama, injustamente, a elas atribuída, desempenham um importante papel na natureza, promovendo o controle populacional de algumas espécies e o equilíbrio ecológico do meio ambiente.

Cezar Santos – Biólogo.
Zoológico Municipal de Mogi Mirim – São Paulo.

 


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


Réquiem para o Cerrado – O Simbólico e o Real na Terra das Plantas Tortas

Uma linda e singela história do Cerrado. Em comovente narrativa, o professor Altair Sales nos leva à vida simples e feliz  no “jardim das plantas tortas” de um pacato  povoado  cerratense, interrompida pela devastação do Cerrado nesses tempos cruéis que nos toca viver nos dias de hoje. 
COMPRE AQUI

 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO