A sociedade contemporânea, chamada sociedade do conhecimento e da educação, está criando, contraditoriamente, cada vez  mais incomunicação e solidão entre as pessoas.

A internet pode conectar-nos com milhões de pessoas precisarmos encontrar alguém. Pode-se comprar, pagar as contas, trabalhar, pedir comida, assistir um filme sem falar com ninguém. Para viajar, conhecer países, visitar pinacotecas não precisamos sair de casa. Tudo vem à nossa casa via online.

A relação com a realidade concreta, com seus cheiros, cores, frios, calores, pesos, resistências e contradições é mediada pela imagem virtual que é somente imagem. O pé não sente mais o macio da grama verde. A mão não pega mais um punhado de terra escura.

O mundo virtual criou um novo habitat para o ser humano, caracterizado pela encapsulamento sobre si mesmo e pela falta do toque, do tato e do contato humano.

Essa antirrealidade afeta a vida humana naquilo que possui de mais fundamental: o cuidado e a com-paixão. Mitos antigos e pensadores contemporâneos dos mais profundos nos ensinam que a essência humana não se encontra tanto inteligência, na liberdade, ou na criatividade, mas basicamente no cuidado.

O cuidado é, na verdade, o suporte real da criatividade, da liberdade, e da inteligência. No cuidado se encontra o “ethos” fundamental do humano. Quer dizer, no cuidado identificamos os princípios, os valores e as atitudes que fazem da vida um bem-viver e das ações um reto agir.

 

Leonardo Boff
Filósofo. Teólogo. Escritor. Excerto  do livro Saber Cuidar. 18ª Edição. Editora Vozes. 2012.

About The Author

Leonardo Boff

Filósofo, Teólogo, Escritor

Related Posts

Deixe uma resposta