Conheça 7 animais que são onívoros e o que eles comem

Conheça 7 animais que são onívoros e o que eles comem

Conheça 7 animais que são onívoros e o que eles comem

Os onívoros são animais que podem consumir tanto alimento animal quanto vegetal. Boa parte de nós, seres humanos, nos reconhecemos como onívoros, mas há também outras espécies cujo organismo é preparado para digerir vários tipos de comida…

Por Maura Martins/via Mega Curioso

No latim, onívoro vem de omni, que quer dizer “tudo ou todo”, e vorare, que significa “devorar ou comer”. Basicamente, seres onívoros são capazes de ingerir e digerir plantas, carne, algas, fungo, ovos e outras substâncias. Dentro da biologia, os animais onívoros são considerados “oportunistas”, pois são capazes de se alimentar daquilo que encontram com mais facilidade.

Conheça agora 7 animais que são onívoro e que talvez você não imagine.

1. Porcos

(Fonte: Olhar Digital)

Alguns porcos são onívoros – aqui, incluímos tanto os domésticos como os suínos selvagens existentes em certos continentes, como a África e a Ásia. Eles são entendidos como animais inteligentes e biologicamente muito parecidos com os humanos (não por acaso, a ciência testa atualmente o transplante de coração de porcos para indivíduos).

Alguns porcos selvagens se alimentam de flores, frutas, raízes, mas também de peixes e insetos. De forma semelhante ao gado, eles também podem consumir soja e fubá.

2. Cães

(Fonte: Gizmodo)

Por cães incluímos todos os animais que pertencem ao gênero canis, como os cães domésticos e os lobos selvagens. De modo geral, os cachorros são onívoros quando comparados aos lobos, mas isto é relativo, já que os lobos preferem atacar animais que comem plantas, e a primeira coisa que devoram em suas presas é o conteúdo presente em seu estômago. 

Já os cães, segundo muitos biólogos, são carnívoros, o que quer dizer que eles preferem comer a proteína da carne; no entanto, com base em seu organismo e seu metabolismo, dá para dizer que são onívoros, o que significa que eles têm capacidade de digerir vários tipos de substâncias.

3. Ursos

(Fonte: Metropoles)

Talvez você tenha em mente a imagem de ursos atacando animais e os devorando, mas a verdade é que estes animais são onívoros oportunistas que costumam comer mais plantas que carne.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Os ursos são bem versáteis no que diz respeito ao cardápio, pois são capazes de devorar qualquer coisa: folhas, raízes, carne fresca, peixes, carne estragada (carniça) e insetos. O menu vai depender do que estiver disponível de acordo com a estação.

4. Galinhas

(Fonte: InfoEscola)

É difícil imaginar que a galinha seja capaz de comer outras coisas além de milho? Mas acredite: esta ave pode devorar alimentos diversos, como trigo, cevada, sementes e até pequenos insetos invertebrados.

5. Quatis

(Fonte: Klima Naturali)

quati é um mamífero típico do México, Estados Unidos e América do Sul, que tem um nariz bem característico e tem hábitos diurnos. Sua dieta também é bem eclética: ele é capaz de comer fruta, invertebrados (especialmente aranhas), pequenos vertebrados (como pássaros, roedores e lagartos) e até lixo!

6. Chimpanzés

(Fonte: Revista Galileu)

Os chimpanzés (primatas com 99% de parentesco genético com os humanos) também são onívoros, assim como todos os hominídeos. Ainda que seu alimento preferido sejam as frutas, eles podem também consumir flores, caules, brotos, sementes, folhas, pássaros, insetos, mel e até outros animais (como javalis, antílopes e até outros macacos).

7. Esquilos

(Fonte: InfoEscola)

Os fofos esquilinhos, diferente do que mostram os desenhos animados, não comem apenas castanhas e nozes. Eles preferem alimentos ricos em gordura, carboidratos e proteínas, uma vez que seu corpo não é capaz de digerir celulose. Mas eles também devorarão, caso seja necessário, frutas, fungos, pequenos roedores, cobras, pássaros e ovos.

Block

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto em nossa loja solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação de qualquer valor via pix ( contato@xapuri.info). Gratidão!

Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana do mês. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN Linda Serra dos Topázios, do Jaime Sautchuk, em Cristalina, Goiás. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo de informação independente e democrático, mas com lado. Ali mesmo, naquela hora, resolvemos criar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Um trabalho de militância, tipo voluntário, mas de qualidade, profissional.
Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome, Xapuri, eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também. Correr atrás de grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, ele escolheu (eu queria verde-floresta).
Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, praticamente em uma noite. Já voltei pra Brasília com uma revista montada e com a missão de dar um jeito de diagramar e imprimir.
Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, no modo grátis. Daqui, rumamos pra Goiânia, pra convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa para o Conselho Editorial. Altair foi o nosso primeiro conselheiro. Até a doença se agravar, Jaime fez questão de explicar o projeto e convidar, ele mesmo, cada pessoa para o Conselho.
O resto é história. Jaime e eu trilhamos juntos uma linda jornada. Depois da Revista Xapuri veio o site, vieram os e-books, a lojinha virtual (pra ajudar a pagar a conta), os podcasts e as lives, que ele amava. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo a matéria.
Na tarde do dia 14 de julho de 2021, aos 67 anos, depois de longa enfermidade, Jaime partiu para o mundo dos encantados. No dia 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com o agravamento da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.
É isso. Agora aqui estou eu, com uma turma fantástica, tocando nosso projeto, na fé, mas às vezes falta grana. Você pode me ajudar a manter o projeto assinando nossa revista, que está cada dia mió, como diria o Jaime. Você também pode contribuir conosco comprando um produto em nossa lojinha solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação via pix: contato@xapuri.info. Gratidão!
Zezé Weiss
Editora

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
COM SEU APOIO, NÓS FAZEMOS A XAPURI ACONTECER. DOE AGORA. QUALQUER VALOR, VIA PIX.
IMG_8019
ABRA O APLICATIVO DO SEU BANCO, APONTE PARA O QR CODE E, PRONTO, É SÓ DOAR. GRATIDÃO!