Gilberto Gil: “ET e todos os santos, valei-nos, Livrai-nos desse tempo escuro”

Extra –

Gilberto Gil –

Baixa

Santo Salvador
Baixa
Seja como for
Acha
Nossa direção
Flecha
Nosso coração
Puxa
Pelo nosso amor

Racha
Os muros da prisão Extra
Resta uma ilusão
Extra
Resta uma ilusão
Extra
Abra-se cadabra-se a prisão

Baixa
Cristo ou Oxalá
Baixa
Santo ou orixá
Rocha
Chuva, laser, gás
Bicho
Planta, tanto faz
Brecha
Faça-se abrir
Deixa
Nossa dor fugir

Extra
Entra por favor
Extra
Entra por favor
Extra
Abra-se cadabra-se o temor

Eu, tu e todos no mundo
No fundo, tememos por nosso futuro
ET e todos os santos, valei-nos
Livrai-nos desse tempo escuro

Biografia de Gilberto Gil

Gilberto Gil (1942) é um músico brasileiro. Cantor, compositor e instrumentista, foi um dos criadores do Movimento Tropicalista nos anos 60.

Gilberto Passos Gil Moreira (1942) nasceu em Salvador, Bahia, no dia 2 de junho de 1942. Filho de médico viveu durante um tempo no interior do Estado. Cresceu ouvindo os interpretes da época, entre eles, Silvio Caldas, Orlando Silva e Francisco Alves. Ainda na infância, ganhou um violão de presente de sua mãe.

Sua carreira musical teve início em 1964, época em que cursava Administração na Universidade Federal da Bahia, quando participou do show “Nós, Por Exemplo”, ao lado de Caetano Veloso, Tom Zé, Gal Costa e Maria Bethânia, na inauguração do teatro Vila Velha, em Salvador.

Em 1965, Gilberto Gil mudou-se para São Paulo. No ano seguinte, sua música “Ensaio Geral”, interpretada por Elis Regina, ficou em 5º lugar no II Festival de Música Popular Brasileira (FMPB), realizado pela antiga TV Record. Em 1967, a música “Domingo no Parque”, que cantou junto com os Mutantes, ficou em 2º lugar no III FMPB. Nesse mesmo ano lançou seu primeiro disco “Louvação”

O III FMPB foi o ponto de partida para o movimento artístico chamado “Tropicalismo”, que Gilberto Gil participou junto com Caetano Veloso, Torquato Neto, Tom Zé, Rogério Duprat, entre outros. A ideia do movimento era a fusão de elementos da música inglesa e americana junto com as músicas de João Gilberto e Luiz Gonzaga. O movimento causou polêmica, porém, abriu portas para uma nova etapa na música popular brasileira.

Em 1968, lançou “Gilberto Gil” com 14 músicas, entre elas, “Procissão” e “Domingo no Parque”. Lançou também um disco manifesto, intitulado “Tropicália” do qual participaram, além de Gilberto Gil, Caetano, Gal Costa, Os Mutantes, Tom Zé e Torquato Neto. O Movimento Tropicalista foi considerado subversivo pela ditadura militar e Gilberto Gil foi preso, junto com Caetano Veloso. Em 1969 foram exilados na Inglaterra. Nesse mesmo ano foi lançado “Gilberto Gil” (1969), onde se destacou a música “Aquele Abraço”.

No início de 1972, Gilberto Gil voltou definitivamente ao Brasil, em seguida lançou “Expresso 2222”. Em 1976, junto com Caetano, Gal e Betânia, formaram o conjunto “Doces Bárbaros” que rendeu um álbum e várias turnês pelo país. Em 1978, se apresentou no Festival de Montreux, na Suíça. Nesse mesmo ano ganhou o Grammy de Melhor Álbum de Word Music com “Quanta Gente Veio Ver”. Em 1980, lançou uma versão em português do reggae (No Woman, No Cray) “Não Chores Mais”, sucesso de Bob Marley.

Entre 1989 e 1992, Gilberto Gil foi vereador na Câmara Municipal de Salvador, pelo Partido Verde. Em 2003, Gilberto Gil foi nomeado Ministro da Cultura, se desligando em janeiro de 2008, para se dedicar à carreira musical. Nesse mesmo ano, lançou o álbum “Banda Larga Cordel”. Em 2010, lançou “Fé na Festa”. Depois de três casamentos, o músico está casado com Flora Gil, que conheceu em 1979.

Foto: uai.com.br
ANOTE AÍ:
Foto de Gil com o neto Nino: página de Gil no Facebook
Biografia de Gilberto Gil: https://www.ebiografia.com/gilberto_gil/
Anúncios

Comentários

X
preloader