fbpx

Com a sua base na Câmara fragmentada, a inevitável debandada dos que pretendem se reeleger e o processo de autorização conduzido por um concorrente, Temer não terá a menor chance de escapar desta terceira denúncia, que provavelmente será apresentada ainda na primeira quinzena de abril. E além de Mansur, Perondi e Marun, seus mais fiéis escudeiros na Câmara, o presidente golpista provavelmente só terá a seu lado Moreira Franco e Eliseu Padilha.

Autorizada pelo ministro Luis Roberto Barroso, do STF, a Policia Federal pegou Temer de surpresa, ao prender seus amigos mais chegados, inclusive o escorregadio coronel Lima, seu principal operador, que há nove meses vem driblando os policiais para não depor. Os procuradores e policiais parece que não tem mais dúvidas sobre o gigantesco esquema de corrupção que funcionava no porto de Santos há muito tempo sob o comando de Temer, mais precisamente desde que ele foi presidente da Câmara dos Deputados.

O seu assessor Rocha Loures, aquele flagrado com uma mala de dinheiro, possivelmente foi peça-chave nas investigações, entregando o ouro em troca da liberdade, numa delação premiada.  Desta vez Temer não terá dinheiro suficiente para “comprar” deputados, uma prática bastante usada na rejeição das duas primeiras denúncias, o que o deixará praticamente à mercê da Justiça. Consciente dessa perspectiva sombria, ele certamente utilizará todos os recursos possíveis e impossíveis que o poder lhe oferece para, mais uma vez, tentar escapar das grades. Não será, porém, tarefa fácil, a julgar pela disposição do ministro Barroso.

A queda de Temer criará uma nova situação no país, com inevitáveis repercussões no processo eleitoral, onde o presidente substituto, Rodrigo Maia, também candidato a permanecer no cargo, terá melhores chances que o presidente golpista, pois não tem a sua rejeição. Se souber usar o poder que terá nas mãos para conquistar as simpatias do eleitorado, interrompendo todas as medidas  antipopulares de Temer, inclusive a entrega  do pré-sal para o capital estrangeiro e a privatização da Eletrobrás, Maia poderá começar a pensar na possibilidade de se eleger, sobretudo se Lula for mesmo impedido de concorrer.

Se, no entanto, se deixar envolver pelas forças que colocaram Temer no Palácio do Planalto e der prosseguimento às suas ações entreguistas e de desmonte dos programas sociais, não fará nenhuma mudança e tudo continuará como dantes. Será o mesmo que trocar seis por meia dúzia. Como  consequência,  além de herdar o cargo herdará também a rejeição de mais de 90% do povo, lançando por terra o sonho de ser Presidente através das urnas.

Enquanto cresce a expectativa sobre o futuro de Temer, que parece já delineado pelo ministro Barroso, aumenta também a tensão em torno da sessão de 4 de abril do Supremo Tribunal Federal, que naquela  data julgará o mérito do habeas corpus preventivo impetrado em favor do ex-presidente Lula. A impressão dominante é que o ex-presidente terá sua liberdade garantida por um placar de 6 x 5, considerando-se o resultado da última votação, mas ainda há muito suspense sobre o voto da ministra Rosa Weber, embora ela tenha votado favoravelmente à admissibilidade do HC.

De todos os onze ministros ela provavelmente é a que tem recebido mais pressão dos dois lados, mas como é muito discreta e fala pouco, nem o mais arguto observador conseguiu até agora detectar a sua tendência. De qualquer modo, 4 de abril parece ser o dia D para o futuro político de Lula, o maior Presidente que este país já teve.

Na verdade, é um absurdo inominável o que o Judiciário, aparentemente controlado pelas forças golpistas, está fazendo com Lula no esforço para impedi-lo de voltar à Presidência da República. Ao invés de se discutir a farsa da sua condenação, uma armação do juiz Sergio Moro confirmada por duas instâncias superiores da Justiça – uma vergonha para os magistrados sérios deste país – cria-se uma grande expectativa sobre a sua prisão, uma escandalosa ilegalidade, decorrente de um crime que não existe.

E como consequência dessa farsa vergonhosa, apoiada e estimulada pela mídia golpista, lança-se a Constituição na lata de lixo, com meia dúzia de togados,  com poderes não previstos na Carta Magna,  contrariando a vontade de mais de 60 milhões de brasileiros, cujo direito para escolher os seus governantes está expresso no Parágrafo Único do artigo 1º: “Todo poder emana do povo”.

Foto: Brasil 247
Fonte: Matéria de Ribamar Fonseca,  Michel michou, publicada no Brasil 247 em 31 de março de 2018


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!
 

E-Book A Verdade Vencerá – Luiz Inácio Lula da Silva

Em entrevista aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, Lula expressa sua indignação com o massacre sofrido ante a farsa da Lava Jato. Imperdível!
COMPRE AQUI

Uma Resposta