As vezes em que apareceu a possibilidade – real ou não – do Lula voltar a estar livre, causaram pânico nas hostes da direita. Jornalistas, políticos, empresários, militares – todos expressaram quase desespero diante dessa possibilidade.

Que tanto o Lula Livre assusta a todos eles? A ponto que um militar chegou a justificar a aberta e escandalosa pressão sobre o STF na noite anterior ao julgamento do habeas corpus para o Lula, dizendo que, “senão, o processo sairia fora do controle”. Isto é, o processo está sob controle os militares. E o Lula Livre tiraria o processo do controle dos militares. Isto é, permitiria a restauração de uma disputa democrática no Brasil, o que hoje é insuportável para a elite brasileira.

O que significa o Lula colocar o processo fora do controle? Mais do que isso: tiraram a liberdade do Lula e também sua palavra. Lula não pode circular pelo Brasil, se encontrar com as pessoas, falar com elas, ouvi-las. Não pode voltar a fazer as Caravanas pelo Brasil. Não pode sequer dirigir a palavra aos outros, mesmo preso.

Que tão perigoso é o Lula? O perigo é para quem? Quem tem medo do Lula? Medo de que o Lula denuncie seu processo, sua condenação, sua prisão? Medo de que, agora, recorde como ele denunciava a falta de isenção do Moro e agora possa confirmar isso com sua participação no governo, como contrapartida de tê-lo tirado da disputa?

De que o Lula denuncie a pressão militar para que o STF não lhe concedesse o habeas corpus e como o STF se ajoelhou diante da pressão? De que o Lula denuncie as condições em que se deram as eleições? De que denuncie como o Judiciário fez vistas grossas diante de todas as irregularidades?

Mas, principalmente, que o Lula recorde como no seu governo os brasileiros viviam muito melhor, eram felizes, tinham emprego, todos podiam dizer o que pensavam, todos podiam ser candidatos. O governo era respeitado, fazia políticas que desenvolviam a economia, programas sociais que atendiam a todos. A educação só se expandia, incorporando a setores cada vez mais amplos nas escolas técnicas, nos institutos de educação, nas universidades.

Recordar que os brasileiros tinham orgulho de ser brasileiros. O país era respeitado no exterior e Lula era um grande personagem da política mundial.

A presença política e moral do Lula é demais para lideranças imorais, sem apoio popular, nem capacidade de liderança política. Eles não podem imaginar um debate com o Lula. Perdem o sono de pânico de ter que ouvir os argumentos do Lula, as questões colocadas pelo Lula.

Lula Livre, nas ruas, conversando com as pessoas, visitando lugares, falando com o povo, se reunindo com organizações partidárias, com movimentos sociais, com artistas, com intelectuais, fazendo atos públicos – é demasiado para a fragilidade e artificialidade com que foi construído esse governo. Ele não suporta a força de uma pessoa como o Lula, de uma liderança como a do Lula. O confronto é brutal para um governo eleito com manobras ilegais, liderado por uma pessoa desqualificada, que fugiu o tempo todo dos debates públicos e até das entrevistas.

A presença política e moral do Lula é demais para lideranças imorais, sem apoio popular, nem capacidade de liderança política. Eles não podem imaginar um debate com o Lula. Perdem o sono de pânico de ter que ouvir os argumentos do Lula, as questões colocadas pelo Lula.

Lula se tornou o personagem maldito da história brasileira atualmente, porque o tipo de governo e de regime que a direita pode oferecer não tem força, nem estrutura para suportar a comparação com os governos do PT, que começaram com o Lula. Não sobreviveriam a uma disputa democrática aberta. Só existem porque instalaram um regime de exceção e pretendem blindar seu poder. Por isso a luta pela liberdade do Lula se confunde com a luta pela democracia no Brasil hoje. Terminar com a maldição desse governo que instalaram pelo golpe, pelas arbitrariedades jurídicas e pelas trapaças políticas.

Emir Sader –  Sociólogo
Autor do livro “O Brasil que queremos. ”

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Leave a Reply

Your email address will not be published.