Não, não está tudo bem. Está tudo branco, em cada canto que ando está tudo branco

Por: Cassiana Rosa dos Santos

Está tudo bem Mãe, o seu filho vai voltar essa noite, durma.

Está tudo bem filhos, são só tiros lá fora nada acontecerá com a gente aqui dentro, durma.

Está tudo bem filha, não foi dessa vez, mas você consegue na próxima, talvez eles não estivessem precisando mesmo de funcionários, descanse.

Está tudo bem mamãe, não faz mal eu já acostumei brincar sozinha, não chore. Está tudo bem filho, ele só quer olhar a sua mochila, não é nada de mais. Não chore.

Está tudo bem Mãe, não me importo em brincar com a Barbie, Ela não se parece comigo, mas está tudo bem.

Está tudo bem vó. Não me importo de prender o cabelo hoje. Está tudo bem. Não, não está tudo. Não está tudo bem por que estamos infelizes.

Não está tudo bem, por que isso é racismo. Não é possível ficar tudo bem se não me deixam ser quem sou, se o lugar onde eu moro sou alvo fácil pela minha cor. É um absurdo dizer que está tudo bem quando o meu único privilégio é sobreviver.

Não, não está tudo bem. Não iremos mais só enxugar nossas lágrimas, esconder nossos filhos, nossos gritos. Filhos e filhas de mães guerreiras, pretas resilientes não iremos mais aceitar o seu “está tudo bem”.

Está tudo branco, em cada canto que ando está tudo branco. E quando a coisa ficar PRETA, ai sim vai estar tudo bem!!!

ANOTE AÍ:

Cassiana Rosa dos Santos: Egressa do Curso de Licenciatura em Educação do Campo Comunidade: Kalunga Vão do Moleque, município de Cavalcante Goiás.

Texto enviado por Pedro Henrique Xavier  via Facebook.

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: