fbpx

“Não consigo respirar”:  Há 1 ano, a morte de George Floyd parava o mundo. A ação policial exagerada de Derek Chauvin resultou em um grande movimento pelas vidas negras ao redor do mundo…

Por Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Linco Lins/Aventuras na História

Enquanto saía de um estabelecimento, Darnella Frazier se surpreendeu com uma ação policial e, de maneira ágil, sacou seu smartphone e iniciou uma gravação; era um militar branco, identificado como Derek Chauvin, ajoelhado no pescoço de George Floyd durante sete minutos.

As imagens, registradas em 25 de maio de 2020, seriam mais um infeliz marco na história americana; deitado na rua, o detido repete diversas vezes que não conseguia respirar, com as vias aéreas prensadas contra o asfalto no meio-fio, que sangram.

Além de estar com as vestimentas rasgadas e com testemunhas notificando a perda da consciência de Floyd, o homem implorava pela vida: “Não me mate”. Ao fim da filmagem, já não esboça reação — mas continua sendo pressionado pelo joelho do oficial.

Grupo protesta em frente a desenho de George Floyd
Grupo protesta em frente a desenho de George Floyd – Getty Images
Ativista presta homenagem a grafite contendo imagem de George Floyd / Crédito: Getty Images

O que aconteceu?

Após a morte do detido, uma onda de protestos nomeada como “Black Lives Matter” (“Vidas negras importam”, em tradução livre) foi capaz de derrubar estátuas de escravistas e figuras que promoveram a eugenia — além de pressionar autoridades para o julgamento dos policiais envolvidos. 

Derek Chauvin, que realizou a ação fatal, foi expulso da corporação logo após o caso, sendo denunciado pelo Estado. Em júri popular do tribunal distrital de Mineápolis, foi considerado culpado pelo assassinato — porém, sua sentença só será divulgada em 16 de junho de 2021, podendo totalizar até 40 anos de regime fechado.

Por fim, o oficial não fez questão de depor durante os julgamentos, não apontando o motivo da ação abrupta. A polícia local, por sua vez, não apresentou associação de George com o suposto chamado de transação com nota falsa, injustificando a ação exagerada.

Fonte: aventurasnahistoria

O ex-policial Derek Chauvin em foto na prisão / Crédito: Divulgação/The Minessota Department of Corrections

 


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


E-Book A Verdade Vencerá – Luiz Inácio Lula da Silva

Em entrevista aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, Lula expressa sua indignação com o massacre sofrido ante a farsa da Lava Jato. Imperdível!

COMPRE AQUI