Covid-19 no Xingu e Rio Negro

Por Instituto Socioambiental

A Covid-19 chegou nas Terras Indígenas da bacia do Xingu. E os números são alarmantes: a pandemia avança nos municípios vizinhos de Áreas Protegidas, pressionando as TIs e Unidades de Conservação do Xingu. Em apenas uma semana, entre os dias 8 e 15 de junho, o número de mortes nas 53 cidades que incidem sobre a bacia cresceu 37%, chegando a 202 óbitos. Os casos aumentaram de 6,2 mil para 8,2 mil no mesmo período. Entre indígenas dessa região, já são 197 casos e quatro mortes. No final de semana faleceu um bebê do povo Kalapalo,  o primeiro óbito no Território Indígena do Xingu (MT).

A região de Altamira, município referência para onze Terras Indígenas, sete Unidades de Conservação e nove municípios da região, já contabiliza 97 mortes, 2.779 casos confirmados, e o único hospital que atende casos de média e alta complexidade está com as UTIs lotadas.

Outra região amazônica altamente impactada é a Bacia do Rio Negro. O pagamento do auxílio emergencial concedido pelo governo federal incentivou a ida dos indígenas às cidades para sacar o auxílio e fazer compras, aumentando a contaminação entre indígenas. A situação é agravada pela demora do poder público em agir. A vida em comunidade e encontros religiosos, parte dos costumes indígenas, são comuns na região da Bacia do Içana e fez a situação se agravar. O único hospital da região é o Hospital de Guarnição do Exército (HGU), em São Gabriel da Cachoeira (AM), que já está com sua capacidade esgotada. Leia mais aqui.

O ISA trabalha lado a lado com povos indígenas, quilombolas e comunidades extrativistas, nossos parceiros históricos. Reorganizamos completamente nosso trabalho desde o início da pandemia, com o objetivo de contribuir com nossos parceiros para que eles sobrevivam. Elaboramos planos emergenciais para prevenção do coronavírus em parceria com as comunidades e parceiros com os quais atuamos, que levam em consideração as prioridades e demandas específicas de cada região.

Nosso objetivo é promover a saúde indígena, com distribuição de máscaras, testes e equipamentos, e projetos de telemedicina. Essas ações são feitas em parcerias com organizações que atuam na promoção da saúde. Também estamos trabalhamos para que as comunidades não precisem sair de seus territórios. Doamos alimentos e cestas básicas com produtos locais, entregues já higienizadas, e estamos comprando e distribuindo itens básicos como utensílios e equipamentos para atividades regulares de pesca e colheita, além de produtos de higiene, como álcool em gel e sabão.

Fonte da matéria: https://www.socioambiental.org/pt-br

Dados de 17 de junho de 2020.

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193

Comentários

%d blogueiros gostam disto: