OMS diz que pior está por vir e que pandemia do coronavírus ‘está longe de ter terminado’

por: Yuri Ferreira

Em entrevista coletiva no dia de hoje, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom afirmou que “o pior ainda está por vir” e que a pandemia está “longe de acabar”. A dura fala da maior autoridade em saúde pública do mundo deve servir de alerta para a expansão do vírus e reforça a necessidade da continuidade de medidas como o isolamento social e testagem em massa.

Das 7 bilhões de pessoas no mundo, há pouco mais de 10 milhões de casos confirmados. É daí que parte a análise da OMS. Ainda existem bilhões de pessoas que não foram expostas à covid-19 e o campo de ação do vírus ainda é vasto. Se os devidos cuidados não forem tomados, a doença pode causar estragos ainda maiores, antes mesmo de chegada da tão esperada vacina.

– Coronavírus: Brasil mira reabertura e OMS diz que pior momento da pandemia está por vir

“Todos nós queremos que isso acabe. Todos queremos continuar com nossas vidas. Mas a dura realidade é que isso não está nem perto de terminar. Embora muitos países tenham feito algum progresso globalmente, a pandemia está realmente acelerando”, afirmou Tedros.

O diretor-geral da OMS ainda mostrou a importância da pesquisa científica, que identificou na dexametasona um aliada para combater os quadros graves da doença e tem reduzido em 30% as mortes por covid-19.

“A questão crítica está em como os países irão lidar com nos próximos meses com o vírus. Esse, infelizmente, é o novo normal. Muitos países implantaram medidas para suprimir a transmissão e salvar vidas e tiveram sucesso, mas não conseguiram extinguir completamente o coronavírus e estão vendo uma ressurgência nos casos”, completou.

Na Alemanha, a preocupação com uma segunda onda do vírus após um surto ocorrido em um frigorífico levantou atenção do mundo, tendo em vista que o país era um modelo para a contenção do novo coronavírus. Na China, o surto do mercado de Xinfadi também levantou dúvidas sobre o tamanho e a potência de uma segunda onda da doença.

O Brasil segue em segundo lugar no número de novos casos e casos totais da doença, sendo uma das principais vítimas do novo coronavírus. Os mais de 57 mil mortos da doença são um reflexo de políticas relativamente leves de isolamento social. A reabertura de grandes capitais e até a volta de público em estádios de futebol são alguns dos indicativos de que o país ainda vai sofrer bastante com a pandemia.

Yuri Ferreira

Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Fonte: Hypeness

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193.

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: