1,5 bilhão de crianças no mundo sofrem impacto pelo fechamento de escolas: 369 milhões dependem da merenda para se alimentar

Apesar de inicialmente as crianças e os jovens não parecerem ser os mais impactados pela crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, um relatório recém-divulgado pelas Nações Unidas alerta que o fechamento das salas de aula em 188 países, deixando em casa cerca de 1,5 bilhão de estudantes trouxe um gravíssimo problema: 369 milhões deles dependem das escolas para poder se alimentar.

Para milhões de crianças, que vivem em países mais pobres, inclusive o Brasil, a comida oferecida no ambiente escolar é a refeição mais importante do dia.

“O impacto socioeconômico do vírus – e das medidas de contenção e mitigação que os governos adotaram em todo o mundo – é potencialmente catastrófico para milhões de crianças. O que começou como uma crise de saúde corre o risco de evoluir para uma crise mais ampla dos direitos da criança”, ressalta o relatório The Impact of COVID-19 on Children.

Assim como em outras crises enfrentadas pela humanidade, os mais pobres e vulneráveis são sempre os mais afetados. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde o coronavírus já contaminou mais de 760 mil pessoas e matou mais de 35 mil, as comunidades que mais sofrem são as de negros e latinos.

Nos países africanos, onde a pandemia demorou mais a chegar, já são mais de 20 mil infectados e as mortes passam de 1 mil.

“Felizmente, até agora as crianças foram amplamente poupadas dos sintomas mais graves da doença. Mas suas vidas estão sendo totalmente destruídas. Apelo às famílias de todos os lugares e aos líderes de todos os níveis: protejam nossos filhos”, conclamou António Guterres, secretário geral das Nações Unidas.

O temor de especialistas é que, devido à crise, as famílias de, entre 42 a 66 milhões de crianças, sejam levadas a uma situação de extrema pobreza, se somando às mais de quase 390 milhões que já se encontravam nessa situação em 2019.

Além da preocupação com que essas crianças enfrentem fome, há outros riscos: o aumento da violência doméstica contra menores, já que passarão todo o tempo dentro de casa, crescimento de casos de gravidez entre adolescentes e também, a evasão escolar.

Em muitos países ricos, foi possível adotar um sistema de ensino à distância, utilizando as tecnologias disponíveis atualmente, mas isso não é uma realidade em nações mais pobres.

“Com as crianças fora da escola, suas comunidades em confinamento e uma recessão global cada vez mais profunda, os níveis de estresse familiar estão aumentando. As crianças são vítimas e testemunhas de violência e abuso doméstico. Com as escolas fechadas, falta um importante mecanismo de alerta precoce”, destacou Guterres.

De acordo com as Nações Unidas, campanhas de vacinação contra a poliomielite foram suspensas e de imunização contra o sarampo foram interrompidas em pelo menos 23 países.

O relatório da ONU atenta para a necessidade de governos prestarem atenção e agirem sobre o impacto da pandemia na infância, tanto em termos práticos, como fornecendo ajuda financeira para comunidades mais carentes, como também, no lado emocional, ao dar apoio a essas crianças nesse momento.

Fonte: Conexão Planeta 

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: