Falsídias babélicas

Mal-entendidos derivados das traições dos tradutores são tão antigos quanto o pomo de Adão, um vacilo de São Jerônimo, autor da Vulgata, que verteu a fruta da árvore do bem e do mal, malum, em maçã, maalum, para a glória dos nova-iorquinos e do Steve Jobs.

Por Antônio Carlos Queiroz (ACQ)

Antes dele, o pessoal da Septuaginta, que transladou o Antigo Testamento do hebraico para o grego entre os séculos III a.C. e I a.C., em Alexandria, já havia operado o milagre da concepção da Virgem Maria. Como assim? Os caras reduziram o termo ha-almah em hebraico, menina moça, para o grego párthenos, virgem.

A torta tradução dessa palavra na profecia de Isaías (7:14) sobre o futuro Filho do Homem foi transposta talequale para o Evangelho de Mateus, e, como o equívoco era muito conveniente, os Padres da Igreja deixaram por isso mesmo. “O Senhor fez em mim maravilhas!

Até hoje a malícia babélica de Javé produz arte ou tragédias e draminhas.

No primeiro caso, a armação serviu de inspiração para gente como o Joyce e o Umberto Eco, que transformou o Silicon Valley em Vale do Silicone. Facécia versus facécia.

Do exemplo do segundo caso eu tive notícia faz alguns anos.

Os personagens: Ariovaldo e Daniel, colegas no Instituto Goethe, e Daphne, uma moça do Guará I por quem o Ariovaldo andava arrastando as asinhas, provocando, sem saber, ciúmes vulcânicos no Daniel.

Um dia o Ariovaldo convidou o Daniel e seu violão para acompanhá-lo numa serenata à moda antiga debaixo da janela de Daphne. Aluno aplicado, o Ariovaldo iniciou o sarau com a Ständchen D 957 (4), uma serenata do Schubert, melosa e açucarada que nem a Rosa do Pixinguinha:

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:

Leise flehen meine Lieder

Durch die Nacht zu Dir;

In den stillen Hain hernieder,

Liebchen, komm’ zu mir!

 

Minhas canções carinhosas

Te chamam à noitinha;

No bosque tranquilo e mimoso,

Vem cá, queridinha!

A Daphne ficou tão derretida que desceu de pijama e língua e tudo pra beijar o Ariovaldo, e ainda sobrou uma bitoca pro Daniel. Todos foram dormir com os anjos, aparentemente.

Nos dias seguintes, um, dois, três, estranhamente, a Daphne deixou de atender às chamadas do Ariovaldo. No quarto dia ele deu um pulo no Guará para falar com ela. Nada, ninguém atendeu.

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:

A próxima semana chegou e o Ariovaldo já estava esperando o pior. Acidente? Doença aguda? A Daphne simplesmente havia desaparecido. Para piorar a situação, o Daniel também escafedeu na sequência. Na secretaria do Goethe, disseram que ele havia trancado a matrícula.

Passaram semanas, passaram meses, o Ariovaldo já estava quase esquecendo o drama, quando, não mais que de repente, no meio de um corredor do Park Shopping, viu uma cena que o deixou catatônico: a Daphne e o Daniel empurrando um carrinho de bebê. Engoliu em seco, fez o pelo-sinal, contou até 73, e abordou o casal:

– Que porra é essa?

Os dois ficaram vermelhos, baixaram a cabeça, mas a única coisa que o Ariovaldo ouviu foi um “sinto muito” da Daphne, que tratou de dar um solavanco no carrinho pra escapulir dali a toda.

Muito tempo depois, o Ariovaldo encontrou uma prima da Daphne e puxou conversa, ainda tentando entender o que havia acontecido. A prima revelou que o Daniel já vinha procurando a Daphne muito antes da serenata, ocasião perfeita para ele dar o último bote.

“Sabendo que a prima estava dividida entre vocês, o Daniel disse que você estava de gozação, que nunca levaria o namoro a sério, ao contrário dele, disposto a se casar o quanto antes”.

– E ela acreditou, sem mais?

– O Daniel apresentou uma “prova”! Mostrou à Daphne a tradução feita pelo Google de uma frase informando que a tal Ständchen do Schubert era uma “mentira”. Disse que “mentiras” eram composições que o Schubert fazia às pencas por dinheiro, por encomenda de rapazes românticos interessados em seduzir mocinhas ainda mais românticas.

– Não entendi!

– Faça você mesmo o teste! Bote lá no Google Translate a frase em inglês “Ständchen is a Lied for solo voice and piano by Franz Schubert…” O Google vai traduzir a palavra Lied, canção em alemão, como mentira.

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:

– Puta merda, essa aí é pra acabar com os pequis de Goiás e os bosques de Viena ao mesmo tempo!

Com um tapinha nas costas, a prima da Daphne foi saindo de fininho, deixando o Ariovaldo em pandarecos.

Ver aquilo dava até dó. Dó menor!

Os links para os dois vídeos da música:

 

 

Salve! Taí a Revista Xapuri, edição 82, em homenagem ao Jaime Sautchuk, prontinha pra você! Gostando, por favor curta, comente, compartilhe. Boa leitura !

 

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia.GRATIDÃO!

Anúncios

loja Xapuri camisetas

 

E-Book Por Um Mundo Sem Veneno

COMPRE AQUI

 

 

 

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:
[instagram-feed] [instagram-feed]