fbpx

Marias 3

Após a história de Maria A, minha amiga Promotora nos disse que conhecia muitas histórias como a dela, mas nem sempre as mulheres tinham essa mesma atitude, porém reconhecia que na maioria das vezes não resultava em separação, o comum era se manterem no casamento porque o preço social e financeiro é muito caro para o feminino…

Por Giselle Mathias

Ela resolveu nos contar a história de uma amiga, a qual teve seu total apoio em um momento muito difícil de sua vida, mas que infelizmente quando passava dificuldades não encontrou o aconchego da amizade nos ombros de Maria B, a qual preferiu o afastamento e ignorar a cumplicidade da amizade que a Promotora sempre lhe dedicara.

A história de Maria B ocorreu há dez anos e minha amiga não teve mais notícias dela. Após a separação da Promotora de seu segundo marido, as duas se afastaram e perderam contato, isso deve ter uns oito anos, mas ela se recorda bem de todo o sofrimento da sua amiga e como sofrera junto. Disse que sente falta dela e como gostaria de compreendê-la, e até ouvir a história de Maria A, não entendia a decisão que tomara em permanecer naquele casamento, talvez agora lhe fosse possível.

Maria B tinha quase trinta anos quando engravidou de trigêmeos, havia feito tratamento para engravidar porque descobrira ter um problema que dificultava a realização do seu desejo de ser mãe, e para evitar inúmeras tentativas que tinham um grande potencial de fracasso, ela e seu marido decidiram pela inseminação artificial.

Após algumas tentativas, ela conseguiu o que tanto almejava, estava grávida e a família tão sonhada estaria formada. Em razão dos problemas que tinha a gravidez continha um grande risco para ela e os bebês, por isso o repouso absoluto foi recomendado, os esforços deveriam ser mínimos para evitar qualquer contratempo. Ela passava seus dias, semanas e meses deitada em sua cama, para auxiliá-la apenas a trabalhadora doméstica, que neste período passara a dormir em sua casa para melhor atendê-la. Parece que o marido não tinha muita disposição de cuidar da esposa que precisava de toda a atenção, carinho e cuidados para que o sonho de ambos se realizasse; a família perfeita!

O período de repouso para Maria B era cansativo mental e fisicamente, mas sentir o crescimento dos filhos em seu ventre compensava todo aquele sacrifício. No entanto, após o quinto mês de gestação e apesar de todos os cuidados veio a triste notícia em um exame de rotina; não se escutava os batimentos cardíacos, os trigêmeos não conseguiram resistir. Ela ficou mortificada com a notícia, chorou compulsivamente, a dor em seu peito era tamanha que lhe faltava o ar, sentia-se culpada como se tivesse deixado de fazer algo; questionava o que poderia ter feito em sua vida para que merecesse um castigo tão grande, como se em algum momento tivesse desagradado ou cometido um crime contra Deus.

O marido tentava lhe acalmar e dizia que tentariam novamente, e que deveriam se resignar ao destino e a vontade divina. Após a notícia Maria B foi internada para que se fizesse o procedimento cirúrgico de retirada dos fetos; antes de ir à sala de cirurgia uma oração para agradecer pela experiência vivida e o pedido que pudesse mais uma vez engravidar; ela é levada e depois de algumas horas, ainda convalescendo da cirurgia, o médico entra em seu quarto e lhe dá mais uma notícia que a destroçara por completo. Ela não poderia mais engravidar, seu problema era muito grave e por este motivo seu útero precisou ser retirado.

Aquela notícia a desesperou, desejava a morte, achou que sua vida não faria mais sentido se não pudesse ser mãe; estava arrasada. O marido a consolou e pediu para que se acalmasse e que deveria se conformar com o que havia destinado a ela.

A alternativa que ela encontrou foi agarrar-se a sua religiosidade e aceitar o que lhe acontecera. Após dois dias saiu do hospital e retornou a sua casa, com dor no coração e muita tristeza dobrou todas as roupinhas de bebê e sentou-se na cadeira de balanço que comprara para velar o sono de seus filhos quando estes chegassem; o choro compulsivo e a falta de ar mais uma vez se fazem presente e dessa vez ela foi consolada por sua funcionária que havia se dedicado aos seus cuidados quando se encontrava grávida.

Depois de uma semana da tragédia vivida por Maria B, enquanto tentava retomar sua rotina e superar toda a tristeza, sua funcionária diz que precisa lhe contar algo, não podia mais esconder o que lhe seria mais um golpe.

Ela lhe disse que estava grávida de quatro meses e o pai de seu filho era o seu patrão, o marido de Maria B.

O caso iniciou-se quando ela estava de repouso e não poderia por sua condição ter relações sexuais, o marido passara a ir ao quarto da funcionária todas as noites, sugeriu a ela que ele poderia ajudá-la se cedesse aos seus desejos, os quais a esposa não poderia atender, como ela bem sabia. No início ela resistiu, mas o ele lhe ofertava a ajudaria a melhorar sua condição de vida.

Não faço aqui nenhum juízo de valor sobre a atitude da funcionária, porque não sei o que ela passava naquele momento, a ausência de possibilidades e oportunidades para que pudesse resolver suas questões sem ter que se sujeitar aos impulsos sexuais daquele homem. O que me foi dito sobre essa parte da história é que ela acreditava que Maria B nunca descobriria, e sua situação se resolveria, mas veio o infortúnio, a gravidez que não desejava.


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


E-Book A Verdade Vencerá – Luiz Inácio Lula da Silva

Em entrevista aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, Lula expressa sua indignação com o massacre sofrido ante a farsa da Lava Jato. Imperdível!
COMPRE AQUI

 

Anúncios