Gustavo Dourado, Poeta do Apocalipse: Com este título,  o jornalista e escritor baiano Florisvaldo Mattos, ocupante da Cadeira 31 da Academia Baiana de Letras,  membro da  Comissão Editorial Selo Letras Brasília,  desenhou o magistral perfil do poeta Gustavo Dourado, patrimônio da Cultura e das Letras do Distrito Federal e do Brasil:

Sob o signo da invenção, o baiano oriundo de Recife dos Cardosos – Ibititá (região de Irecê), Chapada Diamantina, Bahia, mas residente há mais de 40 anos em Brasília, Gustavo Dourado, de pseudônimo Amargedom, propõe-se a reinventar e, com tal intenção, envereda sua poesia pelos campos da ecologia, da informática, da política, da economia, do cinema, das artes gráficas, da semiótica, da crítica e da sátira, da ironia, da denúncia, da literatura de cordel, de muito mais e de tudo enfim procurando abrir brechas na vastidão de possibilidades que lhe oferecem as palavras e uma prole numerosa de signos icônicos e indiciais.

Trata-se de um criador multimídia, a movimentar um poderoso arsenal de recursos poéticos e transpoéticos, de inesgotável utilização dentro de sua determinação em desvendar os segredos do mundo e denunciar suas mazelas, fazer apologias e proferir julgamentos, inventando linguagens e postando-se em estado permanente de criar. Não recua diante da necessidade de criação de novas palavras, por fusão, aglutinação ou justaposição, nem diante do caos em que porventura essa fertilidade resulte. Quanto a isto, a terra é fecunda, por vezes apocalíptica.

Glauberrando, cinemagia, Rimbaudelaire, fonemastigando, termos colhidos a esmo, são apenas alguns exemplos, de que o verbo volpintar, usando o sobrenome do pintor italiano-paulista, impressionou o crítico de arte Olívio Tavares de Araújo.  Poundiano, concreto, expressionista, pop, rótulos por certo não faltarão para pregar na testa de Gustavo Dourado Amargedom, em quem Darcy Ribeiro viu “o faro, o ritmo, a vibração, a energia e a criatividade dos grandes poetas”, e Affonso Romano de Sant’Anna, uma poesia a estilhaçar “ironias em granadas a granel, infinita e iluminada”. Moacyr Scliar o qualificou como “expressão maior da cultura brasiliense”.

www.gustavodourado.com.br

ANOTE AÍ:

Gustavo Dourado é um dos maiores poetas-cordelistas do Brasil. Sua excelente e extensa produção literária pode ser encontrada em www.gustavodourado.com.br/cordel.htm.  Gustavo é também presidente da Academia de Letras de Taguatinga.

About The Author

Xapuri

Related Posts

Deixe uma resposta