Anúncios

A Lenda dos Tuiuiús

Os Tuiuiús (ou jaburus) são as aves símbolo do Pantanal.

Diz a lenda que, num passado muito distante, essas aves eram alimentadas por um casal de índios e que, após a morte, foram enterrados no local onde os Tuiuiús costumavam comer.

Inconformados e famintos, as aves passaram dias e dias sobre o monte de terra que cobria os corpos do casal de índios, esperando que de lá saísse o alimento de todos os dias.

Como isso não aconteceu, a tristeza tomou conta deles de vez. É por esse motivo que os Tuiuiús têm essa aparência tão triste e fixam sempre o olhar para solo como se estivessem procurando algo.

Fonte: http://silnunesprof.blogspot.com/2009/12/lenda-dos-tuiuius.html

Com edições da Redação da Xapuri Socioambiental.

SOBRE O TUIUIÚ

Tuiuiú – a ave símbolo do Pantanal

Tuiuiú ou jaburu (Jabiru mycteria)

tuiuiú é conhecido também por jaburu, jabiru, tuiuguaçú, tuinim, tuim-de-papo-vermelho (Mato Grosso), cauauá (Amazônia), tuiuiú-coral e jaburu-moleque. A palavra “jaburu” em tupi-guarani é uma alusão ao modo de andar da ave, “da que é inchada”.

É encontrada desde a Região Norte até São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e Bahia, e desde o México até o Paraguai, o Uruguai e o norte da Argentina, sendo que as maiores populações estão no Pantanal e no Chaco Oriental no Paraguai. Mas principalmente no estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, no Brasil se encontra mais de 50% de sua população mundial, sendo considerado o símbolo do Pantanal. Vive em grande quantidade também no estado de Goiás na região do Rio Araguaia e lagos próximos.

Clique nas imagens para ampliar
O tuiuiú é da familia das cegonhas
O Tuiuiú pertence a família das cegonhas -Foto de Carlos Ravazzani

O Tuiuiú é uma ave de corpo robusto, o bico, grosso e afilado na ponta, tem 30 cm de comprimento. O pescoço é preto e a parte do papo, dotada de notável elasticidade, é vermelha. A cor predominante das penas no indivíduo adulto, é branca.

Foto de Daniel de Granville

O voo do Tuiuiú

O Tuiuiú é a maior ave voadora da planície pantaneira. É uma cegonha; como tal, voa com seu pescoço e pernas esticados, ao contrário das garças e seus pescoços encolhidos durante o vôo. Com até 1,60m de altura e até 3m de envergadura (medida de uma ponta da asa aberta à outra), utiliza-se, principalmente, das correntes de ar quente ascendentes para voar. Nesses vôos, destaca-se pelas penas brancas da cauda e asa, em contraste com o pescoço, cabeça, bico e pés negros, além do seu maior tamanho, em relação às outras aves na mesma corrente de ar.

Tuiuiú voando - É um espetáculo ver uma ave de tão grande porte batendo asas em voo
O voo do Tuiuiú é um espetáculo

Esses deslocamentos podem ser de poucos até centenas de quilômetros. Percorre as distâncias maiores quando as condições locais alteram-se, devido à flutuação natural do ciclo de águas, fazendo escassear as fontes de alimento.
Alimenta-se de peixes, caramujos, e filhotes de jacaré, embora também coma insetos e pequenos vertebrados terrestres, de forma ocasional.

Os tuiuiús fazem fazem o papel de “limpadores” das áreas onde vive.
Foto de Pepe Mélega
O seu período de reprodução coincide com a baixa das águas, momento em que muitos peixes ficam presos nas lagoas baías e corixos, facilitando sua pesca. Nesta época, o ►muçum-peixe (Symbranchus marmoratum) semelhante a moréia, e a ►traíra (Hoplias malabaricus) são as principais presas levadas aos filhotes, bem como o grande caramujo aquático pulmonado(Pomacea).

Os ninhos dos tuiuiús

Os ninhos do tuiuiú são as maiores estruturas construídas por aves no Pantanal. Podem ser feitos em grupos de até seis indivíduos.

O ninho do Tuiuiú

Ficam localizados nas árvores mais altas, seja nos capões espalhados no campo, seja na mata ribeirinha, são reutilizados a cada ano, com acréscimo de material. Os ninhos, crescem dessa forma, até atingirem 1,85m de diâmetro e 70cm de altura, na média. Há registro de ninho com 3m de diâmetro. A altura do solo varia conforme a vegetação do local. Medidas de ninhos chegaram à altura média de 11m, com extremos entre 4 e 25 metros. Feitos de galhos mais grossos na parte externa, são forrados no interior com capins e plantas aquáticas para a postura de 4 ovos (raramente 5), incubados por 60 dias. O macho e a fêmea se revezam na incubação e nos cuidados com a prole.
Os filhotes saem do ninho aos 3 meses de idade, acompanhando os pais nas primeiras semanas de vida. O ninho fica tão sólido ao final do período reprodutivo, devido ao pisoteio, que é capaz de sustentar uma pessoa adulta sobre ele. Outras aves, em especial a ► cocota, periquito-barroso (ou caturrita, como é conhecido esse periquito no sul do Brasil), usam a base do ninho do tuiuiú para dar sustentação aos seus.

O namoro do tuiuiú

Casal de tuiuiúCasal de Tuiuiú

O casal fica unido pelo menos durante o ciclo reprodutivo, executando danças em dueto e batendo seus longos bicos, maiores nos machos do que nas fêmeas. Nessas ocasiões, a pele vermelha do papo fica mais ressaltada, devido ao aumento da irrigação sanguínea.

Ocorre em toda a reserva do SESC , com ninhos mais concentrados ao longo do rio Cuiabá e no Riozinho, onde estão seus principais pontos de alimentação.

Tuiuiús e outras aves convivem em harmonia.

Foto de Cristian Dimitrius
Fotos: Mathias Singer, Wilson Severino, Cristian Dimitrius, Henrique Rodrigues, Daniel de Granville, Foliveira, Luis A. Flori, Carlos Ravazzani, Virgínio Sanches, Luiz M. Souza, Pepe Málega – outras: Google
Anúncios

Comentários

X
%d blogueiros gostam disto:
preloader