Só Rio – nada serei. sereia nada? A poeta se inquieta, questiona e também responde. Mergulha em água, em rio. Canta e nada feito sereia em maré cheia. O poema é moderno, versos brancos e soltos como os seres do mar, Salve!

Por Vânia Perciani

Só rio

nada serei.
sereia nada?

sereia canta,
sereia cala,
ser na areia
a maré cheia

que nada leva,
pese nada,
nada a relva,
o peixe, a pele

– a água!

zero
cambalhoteie,
bugiganga,
ninharia,

tão iguana
em salamanca,
tão sereia
em bruxuleio

– heraclitamente
rio!

que mergulhe
em sorvedouro
a primeiro
dom de abril.

 

Vânia Perciani – É poeta, colaboradora da Alaneg-RIDE/Xapuri. Formada em Letras pela Universidade de Brasília (UnB) e professora pela Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). Escritora que participou na Antologia “Inspirações Poéticas” publicada pela Ed.
Lura (2020) e no E-book “Poemas e Contos Extraordinários” pela Revista Conexão Literatura (2020).

 

Salve! Este site é mantido com a venda de nossos produtos. É, também, com um percentual dessas vendas, que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, do povo Krenak, em Minas Gerais, do Museu Kalunga Iaiá Procópia, em Goiás e do povo Xavante, no Mato Grosso. Ao comprar em nossa Loja Xapuri, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Contamos com você! WhatsApp: 61 9 99611193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: