Só Rio – nada serei. sereia nada? A poeta se inquieta, questiona e também responde. Mergulha em água, em rio. Canta e nada feito sereia em maré cheia. O poema é moderno, versos brancos e soltos como os seres do mar, Salve!

Por Vânia Perciani

Só rio

nada serei.
sereia nada?

sereia canta,
sereia cala,
ser na areia
a maré cheia

que nada leva,
pese nada,
nada a relva,
o peixe, a pele

– a água!

zero
cambalhoteie,
bugiganga,
ninharia,

tão iguana
em salamanca,
tão sereia
em bruxuleio

– heraclitamente
rio!

que mergulhe
em sorvedouro
a primeiro
dom de abril.

Vânia Perciani – É poeta, colaboradora da Alaneg-RIDE/Xapuri. Formada em Letras pela Universidade de Brasília (UnB) e professora pela Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). Escritora que participou na Antologia “Inspirações Poéticas” publicada pela Ed. Lura (2020) e no E-book “Poemas e Contos Extraordinários” pela Revista Conexão Literatura (2020).

 

 

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

%d blogueiros gostam disto: