A Renascença é uma renda feita com dois materiais: o lacê, que é uma espécie de uma fita, e a linha de bordar. Primeiro é feito um risco (desenho) da peça, depois o lacê é alinhavado nesse desenho e a partir daí é que – preso numa almofada – são feitos minúsculos pontos para segurar toda a peça.

São milhares de pontos em cada peça. A d. Odete, na foto segurando um molde alinhavado de um vestido, é uma das mais antigas rendeiras dos municípios de Poção e de Pesqueira e aos 90 anos continua produzindo peças lindas. Vai deixar como legado o fato de ter ensinado dezenas de rendeiras da atual geração.

Mas como acontece em outras áreas do artesanato, a renda Renascença vai ficar cada dia mais rara porque ela é muito trabalhosa e cara e as pessoas não dão o devido valor ao trabalho do artesão.

ANOTE AÍ!

O texto acima, e também as fotos desta matéria, são da jornalista Reiko Miura e foram postados originalmente na página da Reiko Miura no Facebook.

MAIS SOBRE A RENDA RENASCENÇA:

Esse tipo de renda teve sua origem em Veneza, na Itália, no século XVI, chegando ao Brasil por freiras europeias. A arte delicada difundiu-se em nosso país e agora sua produção está concentrada principalmente na região Nordeste.

A renda Renascença é o tipo de artesanato que se perpetua, sendo passado de geração a geração pelas famílias rendeiras.

Para rendar, são necessários materiais como linha, agulha, lacê e uma espécie de almofada para suporte. O desenho da renda é feito em um papel vegetal, fixado à almofada. Assim, o lacê é preso ao papel e os diferentes pontos da renda Renascença são criados em traçados sinuosos, dando origem a diversas peças.

Fonte deste texto complementar: https://blog.elo7.com.br/manual-de-tecnicas-artesanais/renda-renascenca-conheca-historia.html

Dona Odete, a rendeira de Reiko

Comentários