“Perdeu-se o respeito pelo outro no Brasil”

Do UOL via DCM

Incitação ao ódio, apologia à tortura, ofensas a líderes estrangeiros é um racha inédito na sociedade brasileira. Se o cenário político nacional tem sido marcado por um confronto entre posições ideológicas e uma disputa pelo poder que desafia o bom senso, o país também dá sinais de que perdeu outro elemento fundamental da democracia: o respeito.

O alerta é da chilena Antonia Urrejola, representante da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos). Ela não disfarça sua preocupação com a situação do país. Entre uma reunião na ONU em Genebra, uma agenda frenética e seminários, a relatora avaliou os últimos acontecimentos na sociedade brasileira.

Antonia Urrejola foi assessora de direitos humanos da Presidência do Chile, especialmente na elaboração e processamento de projetos relacionados à infância, diversidade sexual e instituições de direitos humanos. Ela ainda fez parte do Ministério do Interior, participando na elaboração de projetos de lei sobre instituições nacionais de direitos humanos, prisões políticas e tortura. Entre 2006 e 2011, Urrejola foi a assessora principal do ex-secretário geral da OEA.

 

Block

Salve! Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você!

P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, em qualquer dia. GRATIDÃO!

Block

Mais do que uma Revista, um espaço de Resistência. Há seis anos, faça chuva ou faça sol, esperneando daqui, esperneando dacolá, todo santo mês nossa Revista Xapuri  leva informação e esperança para milhares de pessoas no Brasil inteiro. Agora, nesses tempos bicudos de pandemia, precisamos contar com você que nos lê, para seguir imprimindo a Revista Xapuri. VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM UMA ASSINATURA?

P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, em qualquer dia. GRATIDÃO!

continua depois da propaganda