Lá vai o pato Moro a Curitiba se isolar

Por João Paulo Rillo

Neste momento, a prioridade das prioridades é derrotar o fascismo representado pelo bolsonarismo e salvar milhares de vidas gravemente ameaçadas pela forma criminosa com que o presidente da República, o seu governo e apoiadores.

Em seguida, teremos que derrotar o bom mocismo fascista representado pelo ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, desde sempre apoiado pela rede Globo.

Eles andaram se estranhando, mas defendem a mesma agenda política e econômica nociva ao povo e aos trabalhadores.

Isso que me levou a produzir peças de teatro que desconstruam e revelem o que representa  Moro para além da nossa bolha de seguidores.

O humor crítico e direto tem esse alcance.

Daí, eu ter feito uma paródia de O Pato, do gigante Vinícius de Moras.

O Pato original tem letra e música de Vinícius.

No caso da paródia, a letra (veja abaixo) é minha.

A voz do vídeo (no  topo) é de Zeca Barreto.

Arte, de Lucas de Lima, do Desenhativo Estúdio Criativo

O pato

Lá vai o pato
Pato aqui, pato acolá
Lá vai o pato
a Curitiba se isolar

Lá vai o pato
Pato aqui, pato acolá
Lá vai o pato
outro cargo a procurar

O pato juizéco
deixou a carreira
entrou no planalto
raspando a soleira

Pulou no fascista
um corvo serviu
Traiu Curitiba
Também o Brasil

Dormiu abraçado
Com o filho Carluxo
engasgou com Eduardo
Inflamou o buxo

Deu dor de barriga
Na investigação
Queiroz é bandido
E o Flavinho ladrão

O governo começa
Só tem confusão
Explode a verdade
Sobre a eleição

A base implodiu
O pato ta reta
Se finge de morto
E a Joice corneta

O que todos sabiam
Em todo brasil
A eleição foi fraudada
Com fake news

Com tanta evidencia
não teve depois
a PF enquadro
o filho zero dois

O Bozo maluco
Ta fora do eixo
Mando o pato a merda
Sumiu com o Valeixo

O pato perdido
Não teve opção
Pediu pra sair
Assumiu a pensão

Agora começa
A manipulação
O pato bandido
Vira salvação

Saiu atirando
Soberbo e pomposo
Como se não fosse
Um pato criminoso

O pato abalado
Com toda essa historia
Espera um carguinho
Do Witzel e pro Doria

Saiu machucado
Sangrando com dor
Sacou que o Brasil
Não é pra amador

*João Paulo Rillo é diretor de teatro, militante do PSOL e ex-deputado estadual paulista. Escute:

http://www.viomundo.com.br/wp-content/uploads/2020/05/o-pato-legendado.mp4?_=1

Fonte: Viomundo

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 99611 1193.

Anúncios

Comentários