Por Dirce Waltrick do Amarante

Tudo começou quando o pastor que batizou o presidente se casou com a tia de sua mãe, que era cunhada do seu pai, casado com sua irmã de sangue do lado materno, com a qual teve uma filha que era prima em primeiro grau do pastor, o qual era pai de sua filha e seu padrinho de casamento. Mas isso não vem ao caso, porque na igreja que frequentavam eram todos irmãos.

Tudo começou quando o pastor que batizou o presidente se casou com a tia de sua mãe, que era cunhada do seu pai, casado com sua irmã de sangue do lado materno, com a qual teve uma filha que era prima em primeiro grau do pastor, o qual era pai de sua filha e seu padrinho de casamento. Mas isso não vem ao caso, porque na igreja que frequentavam eram todos irmãos.

Mas tudo começou mesmo quando o pastor, depois de se casar com a mulher do presidente, foi batizá-lo nas águas do rio Jordão.

E tudo terminou ali mesmo no Jordão, quando o pastor ficou sabendo que a sua atual mulher, ex-mulher do presidente, havia recebido 89 mil reais do Queiroz, que era filho do amigo de seu concunhado, com o qual tinha uma dívida de gratidão.

A viúva voltou a casar com o presidente e com o dinheiro do Queiroz compraram uma franquia de brigadeiros, pois gostavam mesmo era das forças armadas.

*Consteladora familiar.

Fonte: Jornalistas Livres

Salve! Este site é mantido com a venda de nossos produtos. É também com a venda deles que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar nosso e-book Réquiem para o Cerrado, ou assinar nossa revista Xapuri, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência.  Importante: Nossa Loja Solidária está em manutenção e volta em breve, com lindas camisetas e mais novidades. Até lá, precisando de algo, por favor fale conosco via WhatsApp: 61 9 99611193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: