Antes tarde do que nunca, fica provada a inocência de Henrique Pizzolato, cruel e covardemente condenado por desvio de dinheiro público de um recurso que não era do Banco do Brasil. A nota de Nilmário Miranda, publicada em sua página no Facebook, expressa o tamanho da injustiça cometida contra um inocente

Por Nilmário Miranda

Comentários