Em Goiânia, em uma área arborizada que fica ao lado do Estádio Serra Dourada, todo domingo as artesãs-licoreiras Nonô e Letice Noleto vendem o seu famoso licor de pequi na Feira do Cerrado. Jornalista de profissão, Laurenice Noleto, a Nonô, deixou a vida corrida das redações para se dedicar a fazer e vender licores deliciosos com o cheiro, o gosto e a identidade do Cerrado.

O carro-chefe da produção de Nonô e da irmã Letice, estruturada na microempresa Noleto Licores, é o licor de pequi com chocolate, que Nonô chama de Amarula do Cerrado. Ao acrescentar a uma receita tradicional de licor de chocolate o cheiro e o sabor exótico do pequi, Nonô e Letice criaram um licor de gosto único com a cor e a textura do famoso licor Amarula da África. Nasce, assim, no dizer de Nonô, “o primeiro licor nobre do Cerrado Brasileiro”.
nono-noleto-licores

A Noleto Licores também produz vários outros licores com os sabores das frutas do Cerrado, incluindo os de pequi puro, jabuticaba e figo. A técnica de produção, 100% artesanal, as irmãs herdaram de sua ancestralidade italiana, cuja genealogia remonta a um cidadão batizado como Giovane Noceto, na vila de Pontremoli, junto à cidade de Massa, no ano de 1.370. Em um cuidadoso processo de pesquisa, as irmãs resgatam e reeditam, com um toque inovador, as receitas encontradas nos baús de suas avós e bisavós, chegadas ao Brasil desde o final do século XIX.   Os sabores únicos dos licores de Nonô e Letice abrem oportunidades também únicas de geração de ocupação e renda para as famílias coletoras de frutos do Cerrado. Nonô explica que trabalha em parceria com as populações moradoras de áreas de Cerrado, “o que valoriza a pequena economia das famílias agricultoras da região”, ou seja, os licores da Noleto Licores contribuem para o fortalecimento da chamada economia autossustentável do Cerrado. “Além de criativo e prazeroso, nosso trabalho valoriza as culturas tradicionais do Cerrado. É também preservação”, diz Nonô.

O esmero na produção se estende também às embalagens. Os licores da Nonô e da Letice são entregues em lindas caixas artesanais de tamanhos variados, pintadas à mão por elas mesmas com as cores, formas e flores do Cerrado. A cada caixa, além dos potinhos de barro que substituem os tradicionais cálices, as irmãs acrescentam um belíssimo alfenin também de produção própria (pombinha branca de cerâmica fria, que remete aos famoso alfenin, doce típico da Cidade de Goiás), que leva nas asas os esperançosos versos da poetisa Cora Coralina: “Recria tua vida, sempre, sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.”nono-com-caixas

ONDE ENCONTRAR OS LICORES DA NONÔ E DA LETICE

O principal ponto de venda dos licores Noleto é a Feira do Cerrado, que acontece aos domingos, entre 9 e 13h, ao lado do Estádio Serra Dourada, em Goiânia. As barracas, montadas sob as árvores do parque, oferecem, além dos licores da Nonô e da Letice, uma vasta gama de produtos artesanais, desde alimentos a bordados, em sua grande maioria feitos com temas e produtos do Cerrado.

A Noleto Licores faz parte da Associação dos Artesãos de Goiás, que, além da venda dos produtos em sua loja (Avenida Goiás nº 1.613, Centro, Goiânia – Fone (62) 3095-2684), possibilita aos seus associados a emissão de nota fiscal, legalizando e apoiando a comercialização de produtos, e participa ativamente dos projetos Expoarte, no Flamboyant Shopping Center, e de outro projeto associativista no Buriti Shopping, ambos de Goiânia, onde expõe e comercializa seus licores, juntamente com cerca de 30 outros artesãos e artesãs.

nono-e-leticeAlém da venda na Feira do Cerrado, organizada em uma Associação, reconhecida como ponto de cultura, e a única em todo o estado de Goiás que trabalha exclusivamente com produtos artesanais, os produtos da Noleto Licores podem ser adquiridos diretamente na casa-fábrica: Rua Paquetá, q.05, L.09, Jardim Vitória 1 – Goiânia-Goiás – CEP 74.865-260. Mais informações: Letice: (62) 8253-8674. Nonô: (62) 3281-7184, 9265-5611, ou via e-mail: noleto.licores@gmail.com

About The Author

Zezé Weiss

Jornalista Socioambiental

Related Posts

3 Responses

  1. Patricia Noleto

    Me orgulho muito do trabalho realizado por minha mãe Letice e minha tia Nonon. O amor e carinho colocado em cada garrafa, espalha a alegria a quem quer prove esse licor. Impossível não sentir o alto astral e se deliciar no sabor exótico dos Licores Nolêto.

    Responder
    • Lúcia Resende
      Lúcia Resende

      Patrícia, os licores da Nonô são uma riqueza de Goiás e do Brasil! Continue acompanhando nossas publicações! Feliz Natal!

      Responder

Deixe uma resposta