Conta a lenda que Juquinha, andarilho do bem, amante da paz e das flores, viveu na Serra do Cipó, o braço da Serra do Espinhaço que o paisagista Roberto Burle Max chamou de “O Jardim do Brasil”.

Dizem, porém, que Juquinha existiu mesmo, que seu nome era José Patrício e que vivia nas montanhas, onde colhia as flores que dava aos turistas em troca de roupas e de comida. Dizem também que ele gostava mesmo era da prosa com os passantes. Juquinha teria morrido, revivido em pleno velório e, dias depois, encantado de vez, no ano de 1983.

Extremamente popular e querido, Juquinha ganhou de presente uma bela estátua no alto da Serra, produzida pela artista plástica Virginia Ferreira, por encomenda das prefeituras de Alto do Pilar e Conceição do Mato Dentro. Desde então, o lugar tornou-se um dos pontos turísticos mais visitados da região.

Com uma altitude entre 800 e 1.700 metros, uma infinidade de cachoeiras e um clima ameno e agradável, a Serra do Cipó, que já foi fundo de mar no período cambriano (1,7 bilhão de anos), tornou-se caminho natural para os bandeirantes que se embrenhavam pelos sertões mineiros em busca de ouro e pedras preciosas. Dessa época, restam vestígios de uma estrada de pedra, construída por escravos.

A região é rica também em marcas indígenas, expressadas nas pinturas rupestres que se reproduzem nas belas peças de cerâmica vendidas nas lojas de artesanato da região. Seu maior atrativo, porém, são as águas do rio Cipó, afluente do Rio das Velhas, pertencente à Bacia do São Francisco, permeado por cânions fantásticos, já dentro do Parque.

COMO CHEGAR

A linda e florida serra que acolheu Juquinha fica a 90 km de Belo Horizonte, logo depois da cidade de Lagoa Santa, na região sul da Cordilheira do Espinhaço, no divisor de águas das bacias dos rios Doce e São Francisco, entre o Cerrado e a Mata Atlântica, os dois biomas mais ameaçados do Brasil.

Chega-se à terra do Juquinha pela rodovia MG-010, depois de pouco mais de uma hora de viagem. Existem placas de sinalização por todo o caminho.

Com cerca de 3 mil habitantes, a cidadezinha possui uma boa estrutura turística, com pousadas, hotéis, áreas de camping, serviços de comunicação e restaurantes típicos, onde é oferecido o famoso frango com ora-pro-nóbis da Serra do Cipó.

PARQUE NACIONAL DA SERRA DO CIPÓ

O Parque Nacional da Serra do Cipó preserva um patrimônio natural de 33.800 hectares de cerrados, campos e matas, além de rios, cachoeiras, cânions e sítios arqueológicos, nos municípios de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro.

mapa-serra-do-cipoGerido pelo ICMBio, o Parque preserva também uma rica variedade de fauna e flora, com espécimes raros, muitasvezes somente encontrados nessa região, que podem ser observados a partir das trilhas ecológicas que complementam as duas principais atrações do Parque, o Cânion da Bandeirinha, uma espécie de desfiladeiro, e a Cachoeira do Sobrado, ou da Farofa, respectivamente a 12 e 8 km da sede do Parque.

O portal de entrada fica a cerca de 5 km da cidadezinha distrito da Serra do Cipó, no município de Jaboticatubas. É cobrada uma taxa de ingresso para estada diária, não se permitindo nenhum tipo de acampamento, exceto para equipes de pesquisa e voluntariado. Inscrições para o programa de voluntariado devem ser feitas com antecedência mínima de 20 dias.

Deixe uma resposta