Brasileiros se defrontam com fantasmas de golpe militar, eleição indireta, renúncia de Temer, eleições adiadas. O calendário eleitoral, no entanto, não sofreu qualquer alteração.

O locaute promovido por caminhoneiros autônomos e empresas de transportes, ligados basicamente à ultradireita, abalou de forma indiscutível o que resta do governo de Michel Temer. Enfraquecido e de joelhos diante de uma taxa de rejeição jamais vista na História do país, o presidente de facto tem um tempo cada vez menor até as eleições de outubro para realinhar o apoio no Congresso e concluir o mandato.

Apesar dos fantasmas disseminados em redes sociais, o calendário eleitoral segue adiante; para o término do mandato de Temer

Diante das incertezas, os brasileiros se defrontam com fantasmas de golpe militar, eleição indireta, renúncia de Temer. Sites supostamente de esquerda e páginas declaradamente alinhadas à extrema direita também inundam as redes sociais com o risco de adiamento das eleições presidenciais.

O ambiente de insegurança é detalhado no artigo do diretor do Instituto Lula, jornalista Celso Marcondes, sob o título “Eleições de outubro não estão asseguradas”, publicado neste sábado.

Calendário eleitoral

“Insegurança jurídica’, ‘crise institucional’, ‘insegurança política e social’ (as eleições teriam ocorrido se estivessem marcadas para domingo passado?), no país dos atropelos jurídicos, quaisquer destes argumentos poderia ser utilizado para alterar o calendário (eleitoral)”, afirma Marcondes.

E resume:

“Enfim, às portas da Copa do Mundo, algumas certezas; além da esperança no time do Time. E outras tantas dúvidas que levam à outra grandona, bem cruel”.

Apesar das dúvidas deixadas no ar, o calendário eleitoral do país segue intacto. Na próxima terça-feira, “a Justiça Eleitoral deve tornar disponível aos partidos políticos a relação de todos os devedores de multa eleitoral, a qual embasará a expedição das certidões de quitação eleitoral”, garante o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em sua página oficial.

Na segunda-feira da semana que vem; o TSE divulgará o montante de recursos disponíveis no Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). “Observado o prazo-limite para o depósito pelo Tesouro Nacional, no Banco do Brasil, até 1º de junho de 2018”; acrescenta a Corte. Demarca, assim, a quantia de recursos a ser empregada nas próximas eleições.

Normalidade

E no dia 5 de julho, uma quinta-feira; está confirmada a data a partir da qual cada partido poderá escolher seus candidatos. A partir daí, portanto, será permitido ao postulante à candidatura a cargo eletivo “realizar propaganda intrapartidária com vistas à indicação de seu nome; vedado o uso de rádio, televisão e outdoor”. No caso, Lula poderá passar sua mensagem aos integrantes do PT, da mesma forma que os demais candidatos.

Ainda que tantas dúvidas, contudo, assaltem o imaginário popular, a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, instância máxima do Judiciário brasileiro; afirmou em Plenário da Corte, que a democracia é o único caminho para solucionar a crise que o país enfrenta.

— Também as democracias vivem crises. Mas dificuldades se resolvem com a aliança dos cidadãos. E a racionalidade, objetividade e trabalho de todas as instituições; de todos os poderes. A democracia não está em questão. Não há escolha de caminho. A democracia é o único caminho legítimo — destacou a ministra; em franca defesa do processo eleitoral, em curso.

ANOTA AÍ:

Fonte: Correio do Brasil

Anúncios

Comentários

X
preloader