Diante da crise, PT avança no plano de reconstrução e transformação do Brasil

Proposta começou a ser tratada pela Executiva Nacional, diante da crise da pandemia e do desastre que o país vive sob Bolsonaro. Ideia é recolocar o Estado Nacional e o aprofundamento da democracia no centro do debate das saídas para a crise. Projeto passa por defesa da vida, do emprego e da renda, da valorização da democracia e da soberania nacional

A Comissão da Executiva Nacional do PT deu início nesta segunda-feira, 29 de junho, a um ciclo de debates em torno de um Programa de Reconstrução e Transformação do Brasil a ser apresentado à sociedade brasileira como saída para as crises política, econômica, social e sanitária. A ideia é apresentar ao país nas próximas semanas um projeto de superação da crise social, econômica e política agravada pelo presidente Jair Bolsonaro, que aprofundou a desigualdade no país e colocou o Brasil no seu pior momento da história.

No centro das discussões, o papel do Estado Nacional, forte, aglutinador e indutor do desenvolvimento, capaz de tirar o país do atoleiro institucional, econômico e social. A ideia de mobilizar os líderes do PT e a militância a rediscutirem um novo rumo para o país é do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O PT voltou a reafirmar seu compromisso com o impeachment de Bolsonaro, alvo de um pedido apresentado pelo partido, junto com outras seis legendas da oposição – PSOL, PSTU, PCdoB, PCB, PCO e UD – além de 400 organizações da sociedade civil. 

Lula quer aproveitar o ambiente do debate desse plano de reconstrução do Brasil para levar o PT a intensificar saídas políticas. A ideia é, inclusive, aproveitar o momento para apresentar projetos de lei ao Congresso, que intensifiquem a defesa do SUS, da vida e dos direitos sociais e dos trabalhadores, combinando ainda projetos de lei de iniciativa popular que possam mobilizar a sociedade.

“O cenário é de guerra, mas precisamos começar a lidar com a construção de um novo caminho para o país. A nação precisa voltar a ter esperança”, explica a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR). Ela diz que o debate sobre o futuro do país precisa ser traçado neste momento, em que a crise pode ser usada como oportunidade para mobilizar o país a debater saídas para um novo cenário político.

Cenário de guerra

Gleisi diz que as dificuldades do povo são crescentes, em meio à pandemia, e o governo só as tem aprofundado. A economia brasileira vai encolher 9%, o número de desempregados e de trabalhadores na informalidade supera a marca de 50 milhões de pessoas e o Brasil conta com mais de 58 mil mortes por Covid-19, além de 1,2 milhão de pessoas infectadas. Isso tudo sem que o governo Bolsonaro tenha sequer um esboço de projeto para o enfrentamento da crise.

“Se o governo não pode ou não quer desenhar um caminho para a retomada do país no pós-pandemia, com desenvolvimento econômico e justiça social, o PT vai apresentar um projeto a ser discutido com amplos setores da sociedade civil e dos movimentos sociais, além do Parlamento, para retomar a construção de uma nação soberana, que olha para todos e está preocupada em distribuir renda e promover o bem-estar”, explica Gleisi. A proposta em discussão ainda está em fase embrionária e seu primeiro esboço foi formulado pelo Centro de Altos Estudos da Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT.

Durante a reunião da Executiva Nacional nesta segunda-feira, a ex-presidenta Dilma Rousseff lembrou que, em todo o mundo, os governos e dirigentes políticos começam a discutir a construção de um futuro em que a desigualdade está no centro dos debates. “O Brasil não pode se dar ao luxo de ignorar o que foi realizado entre 2003 e 2016, quando o golpe parlamentar interrompeu um projeto político que buscava manter o foco no povo brasileiro e no desenvolvimento nacional”, lembrou. “Uma parte da nossa tarefa é retomar as políticas públicas que colocavam os pobres e a maioria da população no centro do Orçamento da União, como beneficiário direto das políticas sociais”.

O presidente da Fundação Perseu Abramo, Aloizio Mercadante, está reunido desde o início do mês com os diversos Núcleos de Acompanhamento de Políticas Públicas (NAPPs), além de representantes das setoriais do PT, para desenvolver o plano. Um primeiro esboço será apresentado nesta terça-feira, 30, às bancadas do PT no Senado e na Câmara. Nos próximos dias, a proposta também será levada aos governadores e prefeitos, além dos diretórios estaduais e municipais, assim como as outras instâncias partidárias. “É um ponto de partida para darmos início ao debate e organizarmos um plano estratégico”, diz Mercadante.

Fonte: PT Notícias

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193.

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: